noticia-muito-impressionante-anderson-di-rizzi

Temos uma notícia muito inesperada sobre um ator da próxima novela das nove

Assim como Sonia Abrão deve começar seu dia abrindo as revistas de fofocas e marcando as pautas interessantes com aqueles post-its bonitinhos, nós do Coisas de TV iniciamos o trabalho do dia abrindo os principais sites televisivos e nos atualizando  respeito do mundinho televisivo enquanto tomamos café da manhã. Às vezes vemos algo tão impressionante que a gente se vê obrigado a contar ao outro sobre o que acabamos de ler, e foi bem isso que rolou hoje.

Minha colega Larissa Martins, que costuma devorar a mesa de café da manhã, viu uma notícia na coluna do Flávio Ricco que era tão impressionante que se viu obrigada a sair da mesa e tomar apenas um suco. O que será que aconteceu nesse universo a ponto de deixar até os mais incrédulos redatores do Coisas de TV bastante consternados? Simples, foi uma notícia envolvendo o ator Anderson di Rizzi.

anderson-di-rizzi

Segundo a coluna do Flávio Ricco, o ator Anderson di Rizzi não fará um papel cômico na próxima novela de Walcyr Carrasco (que tem o nome “maravilhoso” de “O Outro Lado do Paraíso”). Ele será o dono de uma empresa de lapidação, e fará parte do núcleo sério dessa novela sobre escavações e mineração.

Repetindo!! Anderson di Rizzi, ator cujos marcos da carreira são um ensaio nu na revista Bananaloca e o personagem funkeiro PALHAÇO da novela “Amor à Vida”, interpretará um personagem que não é do núcleo cômico de “O Outro Lado do Paraíso”. Ele não pilotará carros desgovernados, não participará de guerra de tortas e nem fará humor de mudar voz. Ele será um personagem SÉRIO.

Nunca vimos algo com esse precedente na teledramaturgia brasileira. Depois dessa eu estou pronto até para ver Susana Vieira interpretando o Batman.

Fábio Garcia

Eu só faço a contabilidade

Você pode gostar...

Comenta Aí!

15 Resultados

  1. Chris Freires disse:

    Vou ficar impressionada quando a Tata não interpretar a Valdirene em alguma novela

  2. Andrew disse:

    Qual o problema com título”O outro lado do paraíso”?Sério,não tem nada de errado e é até muito bonito em comparação aos títulos lixos que tivemos recentemente.Quanto a escalação do Anderson, pelo menos ele não fará mais um personagem cômico idiota.É só o romance dele com o Walcyr acabar e a curta carreira dele como ator sério vai pro buraco.

  3. Sandy disse:

    Espero que esse “papel dramático” seja só pra aparecer uma vez por semana sentado pra ser orelha da Patrícia da vez e fazer merchan aleatórios

  4. AndieAraujo disse:

    Se Walcyr desse para ele um papel cômico. Vcs iriam falar que Anderson só faz personagem cômico.
    Essa será a chance dele mostrar que é um bom ator. Que não fica em sua zona de conforto!

  5. Roberto Filho disse:

    Fábio e Larissa,comentem a INDIRETA que está rolando nas chamadas de Vade Retro: na hora que o locutor diz” logo após ‘Os Dias eram Assim’…” aparece o personagem do Tony Ramos dizendo:”Porque você fez isso?”
    Acho q alguém lá nao gostou dessa inversão de horário kkk

  6. Biel disse:

    Cruzes, já é a quinta vez que ele faz novela com o Walcyr, isso em 6 anos.
    Eu amo o Walcyr de paixão, mas eu sinto que vem aí uma nova Amor à Vida. A história dessa nova novela parece muito rocambolesca, porém mesmo quando o Walcyr aparece com algo ruim, dá vontade de assistir, pois as vilãs são maravilhosas e acabam maquiando o horror.
    Exemplos:
    Morde & Assopra: primeira coisa que eu pensei foi “nossa, esperava mais do Walcyr, que porra é essa de dinossauros e robôs? Wtf??????? Mas Amanda, Celeste, Virgínia e Minerva eram tão tinhosas que a bizarrice da novela até ficava boa.
    Amor à Vida: eca! Até hoje não acredito que o Walcyr escreveu essa nojeira. Mas Aline, Leila, Amarilys, Glauce e Alejandra divaram tanto, que, eu até assistiria uma reprise
    Êta Mundo Bom: a nova versão do filme do Mazzaropi talvez tenha sido a novela pastelão mais fraquinha do Walcyr, porém Sandra e Diana eram maravilhosas

    Acho que em Outro Lado do Paraíso teremos uma nova dupla Cristina e Débora, dessa vez interpretadas por Grazi Massafera e Marieta Severo, então, por mais que venha aí uma história sem pé nem cabeça como a novela da caçamba, eu vou assistir sem perder nem um capítulo sequer

    • José disse:

      Cruzes, o que salvou Morde & Assopra foi a Cássia Kiss, o que salvou Amor à Vida foi o Félix e o Carneirinho, e o que salvou Eta Mundo Bom foi a própria história, já que era uma novela mais do mesmo e embarcava só quem queria. Essas vilãs, Deus me livre, uma pior que a outra. Só se salva a Galine mesmo.

      • Biel disse:

        A Dulce não me prendia muito na novela. Pra mim, a novela só ficou boa a partir da entrada da Naomi humana, em que outros personagens apareceram. A Amanda foi uma vilã bem perversa, porque se tem uma coisa que o Walcyr sabe escrever são vilãs. Ele não tem essa frescura de criar personagens dúbias. As vilãs dele são bem mexicanas e não são artificiais, as armações são bem boladas, não são simplesmente maldades gratuitas ou avulsas, como fazem as vilãs da Maria Adelaide Amaral, por exemplo. Para mim, as melhores vilãs do Walcyr são, em ordem: Violante, Marcela, Olga, Cristina, Simone, Judith, Aline e Sandra. A aprendiz de vilã Giovanna, de Verdades Secretas também foi ótima. Já a história de Êta Mundo Bom, sem a Sandra, não seria possível, então, com certeza quem carregou a novela nas costas foi ela, ao lado da mocinha moral Maria

        • José disse:

          Concordo que o Walcyr acerta em criar vilãs realmente más numa era em que cada vez mais criam “personagens humanizzzzzzzzzzados’. Essa década de 2010 foi fraquíssima de vilãs (e isso se a gente relevar a Beatriz, a Magnólia, a Tereza Cristina, a Cora etc)… cada vez menos autores criam vilãs tradicionais, e tem um abismo entre criar uma tradicional e uma realmente boa (o Aguinaldo Silva mesmo só sabe criar loucas desvairadas viciadas em escada, nenhuma é realmente interessante desde a Nazaré).

          Mas o problema do Walcyr é que simplesmente ele coloca uns 50 vilões em toda novela, você nunca sabe quem é a vilã principal daquela bagaça, fica tudo muito forçado, ele muda as personalidades dos personagens (Graça, Amarilys, Ninho), diminui a relevância da suposta vilã principal (Agatha, Virgínia), enfim… fora as atuações canastronas.

          Morde & Assopra: Salomé e Celeste estavam de ótimo tamanho. Eram uma versão bem leve e cômica da Débora e Cristina. Tirando ela, eu não aguentava mais ver a Savalla de Jezebel versão primeira-dama (graças a Deus ela não vai fazer O Outro Lado do Paraíso), a Virgínia só sabia ficar em esquetes do Zorra pegando o Ary Fontoura prefeito pra ser morta por um dinossauro no último capítulo e a Amanda apareceu do nada, fez cinco maldades gratuitas e ainda morreu num reboot da morte da Débora.

          Amor à Vida: pelamor… Maria Maya e Leona Cavalli davam vergonha alheia, a Leila era do núcleo mais desnecessário da história, só se salvava Galine e Amarilys e olhe lá.

          Eta Mundo Bom: Sandra é a Cristina 2.0, né? Mas ela foi necessária e cumpriu bem seu papel dentro da narrativa, deixo passar.

          Mas pra mim os principais atrativos do Walcyr são as reviravoltas e o melodrama sempre muito eficiente dele pra prender o público, e nem de longe as vilãs.

          • Biel disse:

            Apesar de toda novela do Walcyr ter um número gigantesco de vilãs, dá para se ter uma ideia de qual é a grande malvada da história. As novelas mexicanas também tem um número enorme de vilãs, com a diferença que essas odeiam uma única mocinha, enquanto as vilãs do Walcyr, são distribuídas nos demais núcleos. A grande vilã é aquela que está dentro da trama central.
            Em novelas do Walcyr: Marcela de O Cravo e a Rosa: antagonizava diretamente a protagonista. Olga, Jezebel e Graça de Chocolate com Pimenta: as três formavam digamos, uma trindade de vilãs cômicas
            Cristina e Débora de Alma Gêmea: as duas grandes vilãs da história
            Simone de Sete Pecados: a novela tinha 300 vilãs, mas a Simone sem dúvidas foi a que mais se destacou e estava dentro da trama central
            Judith de Caras & Bocas: só podia ser essa a grande vilã, afinal não tinha outra
            Amanda de Morde & Assopra: bom, a Celeste era uma vilã cômica, enquanto a Virgínia, era apenas uma espécie de Lara Keller (Sangue Bom)
            Aline de Amor à Vida: era a única que fazia parte da trama central. Leila, Glauce, Alejandra, todas essas eram vilãs que não faziam muita diferença para o andamento da história. A Amarilys também pode ser considerada uma das grandes vilãs, pois interagia diretamente com personagens centrais
            Sandra de Êta Mundo Bom: Cunegundes e Diana eram vilãs cômicas, e é óbvio que a Sandra é quem comandava a vida dos personagens da trama

            Acho a função dos personagens do Walcyr bem clara, facilmente notável quem são os mocinhos e os vilões

          • José disse:

            Não vejo a Graça nem um pouco como vilã cômica (na verdade nem a Olga, ela só era engraçadinha quando estava com o Soldado Peixoto). A Graça era MUITO má, foi a única vilã de Chocolate com Pimenta que realmente teve um desfecho trágico… fora que ela não interferia no núcleo central. A Ana Francisca tinha duas grandes inimigas, sendo que a Olga só interferia em sua vida amorosa e a Jezebel no seu dinheiro (a Jezebel era mais bandida, armava sequestro, falsificação etc, enquanto a Olga era mais limitada a armaçãozinha barata).

            Sete Pecados: a Simone nem pisou no núcleo central, ela era a única vilã bem construída da novela mesmo, e participou de um dos únicos núcleos que funcionou naquele trem desgovernado. Se a Miriam e o Vicente tivessem sido o casal protagonista, teria sido ótimo. Tentaram fazer da Agatha a vilã principal, mas já exploram a mulher em dois meses de novela… pra mim a vilã era a Beatriz mesmo, e ninguém me convence com isso de “mocinha dúbia”… ela era má mesmo, mau-caráter, bandida… se redimiu no final, que nem a Amora, só isso. A mocinha era a Giovanna Antonelli mesmo.

            Morde & Assopra: a grande vilã da trama seria a Virgínia, já que acredito que toda a ação do núcleo central e da saga da Júlia seria focada em tráfico de fósseis e na busca dela pelos pais desaparecidos numa expedição; a Virgínia era falsa amiga dela, roubava seu projeto de pesquisa, traficava fósseis e ainda tinha um caso com o noivo dela. Talvez a Virgínia até se unisse à Celeste pra separar a Júlia do Abner (e fosse algo parecido com Chocolate com Pimenta, com a Virgínia sendo a Jezebel e a Celeste sendo a Olga). Infelizmente, toda essa trama foi jogada no lixo em nome da audiência e não sabemos até hoje como seria a sinopse original de Morde & Assopra. A Júlia se dedicou a ser a melhor amiga da Dulce e ficar ajudando ela a abrir os olhos quanto ao filho mau-caráter, e a Virgínia virou figurante cômica que todos os dias aparecia transando com o prefeito em troca de dinheiro, presentes etc. Ninguém sabe de verdade quem foi a grande vilã dessa novela. Talvez a Amanda, que foi a única vilã realmente tradicional da história, mas sei lá.

          • Biel disse:

            Os personagens Ana, Danilo, Olga, Jezebel, Celina, Guilherme e Graça faziam todos parte da trama central, mas só a Ana e o Danilo eram os protagonistas, enquanto os outros eram co-protagonistas, mas estavam intetagiam diretamente com os personagens principais, inclusive a Olga e a Graça eram melhores amigas e agiam juntas, depois se uniram a Jezebel. Tramas paralelas e secundárias seriam na verdade o caso do prefeito com a Marcia, a Bernadete “trans”, etc. Em Sete Pecados, a mesma coisa, o casal Miriam e Vicente interagiam diretamente com os protagonistas, então também estavam dentro da trama principal, enquanto a Simone, a vilania dela tinha tudo a ver com a história da novela. A Ágatha era para ser a grande vilã até a entrada da Simone, depois que a personagem perdeu a função, o Walcyr até a matou. Quando uma vilã não dá muito certo, muitos autores criam outra, que acaba definitivamente roubando a cena. Sete Pecados tinha várias vilãs na verdade: Beatriz, Simone, Carla, Ágatha, Otília, etc. Aliás, antes da Simone, quem cumpria a ação de grande vilã era a Carla. Sinceramente, a Ágatha foi um micão, mas o Walcyr deu um jeito de contornar a situação chamando a Samara Felippo, fazendo a Simone sugar todos os poderes vilanescos das outras personagens para si mesma. Simone foi uma vilã convencional? Foi, mas é até hoje a maior vilã do horário das 7.
            Já a Virgínia, é praticamente o mesmo caso da Simone. Como a Celeste era apenas uma aprendiz de vilã, e a Virgínia uma amiguinha falsiane, Morde & Assopra era uma novela que não tinha a figura da grande vilã, então, com a chegada da Naomi humana, veio também a Amanda, disposta a desmascarar a mocinha para roubar tudo o que era dela

    • Rafa disse:

      Teve Se7e Pecados gente que nem dava pra aguentar o Josué vilão inescrupuloso suhshiman representando a ira seqüestrando a Priscila Fantin Patricinha e a vilã, que nunca foi a Ágata…

      Aquela novela NADA dava pra defender , diferente de A Padroeira que ele enfiou novos personagens pra dar uma cor no texto sombrio.

  7. José disse:

    GOREEEEEEEEEEEEEEE
    amo o Walcyr mas tenho que reconhecer que um dos maiores defeitos dele é essa obsessão por atores da panelinha dele (é o que mais repete elenco) e geralmente só gosta de ator lixo… não vejo a hora de terminar esse caso dos dois pra ele mandar o Anderson pra Record que nem fez com o Phavanello
    até hoje não perdoo ele ter destruído o casal Romeu e Malfada só pra puxar a sardinha do queridinho dele

    PS: acho o título O Outro Lado do Paraíso (embora grande pra uma novela) muito bonito… tem um filme inclusive com esse título

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *