10 cenas de ‘Star Wars: The Last Jedi’ que são uma paródia de Star Wars

Abaixo vamos listar, analisar e descrever as 10 cenas de ‘Star Wars: The Last Jedi (Star Wars 8)’ que são uma paródia de Star Wars e que fazem com que o Episódio VIII dirigido por Rian Johnson tenha alguns momentos ridículos.

1- O lançamento do sabre de luz.

Quando Luke Skywalker pega o sabre de luz de seu pai, logo no momento em que deixamos King e o último dos Jedi no final de “Guerra das Estrelas: O Despertar da Força“, todos nós sentimos esse belo momento como nosso. O legado dos Skywalkers nas mãos de uma verdadeira lenda. Tínhamos esperado dois anos, desde que deixamos os dois na Ilha Ahch-To, para ver o que iria acontecer. E Lucas simplesmente pegou na espada, olhou para ela e atirou-a como se não estivesse com ele.

2- As piadas da “tua mãe”.

O início da Guerra das Estrelas: O Último Jedi nos mostra uma conversa entre o General Hux (ou devemos chamá-lo de “General Juas“?) e Poe Dameron que é ridículo além da crença. O mais triste de tudo não é isso, mas como acaba. Porque antes de o diálogo ser suspenso, Dameron faz uma piada sobre “sua mãe” para Hux. Como se estivéssemos diante de uma paródia warsie em vez das barras de abertura do episódio oito da saga galáctica.

3. “Que a Força te traga…”

É uma das grandes frases da história do cinema e da saga Guerra das Estrelas, criada por George Lucas em 1977. Mas em “Guerra das Estrelas: O Último Jedi“, nem sequer o ouvimos quase completamente da primeira vez que foi dito. O vice-almirante Holdo e Leia Organa cortaram-se e riram-se que o vão dizer em uníssono. Sim, é verdade, revela a cumplicidade e a experiência de terem vivido juntos durante tantos anos. Mas era completamente desnecessário e paródico.

4- O momento do leite.

É muito bom que possamos saber como Luke Skywalker sobrevive na solitária ilha de Ahch-To, lutando contra a flora e fauna do lugar. Mas era realmente necessário mostrá-lo espremendo leite de algum tipo de foca do mar alienígena, bebendo-o ansiosamente e jogando-o pela barba toda, como se estivesse se recriando naquele momento? Não, não foi. Arruína aquele tão esperado reencontro com o lendário Jedi e é completamente paródico.

5- A placa épica.

Rian Johnson nos dá uma foto quase detalhada de um ferro descendo das alturas para as roupas dentro da Supremacia Snoke. E ele faz isso com música épica, como se fosse uma espécie de lutador da TIE ou um Star Destroyer. Mas não, é um ferro. Uma merda de ferro. Podes chamar a isto “respeito pela saga” ou mais uma “Guerra das Estrelas de Filmes Assustadores“?

6- A cena de abertura com a asa X modificada de Poe Dameron

Há uma falta de consciência ou uma sensação de desinteresse da parte de Rian Johnson em aceitar que a Guerra das Estrelas tem um conjunto de regras. Caso contrário, não nos explicamos. As torres no início do filme no Star Destroyer, que Poe Dameron ataca sozinho, são “torres anti-caça“. Ou seja, torres que foram fabricadas com o único propósito de abater navios como o do Poe Dameron. O que há de errado com a Primeira Ordem? Até alguém diz: “O nosso fogo não está preparado para navios tão pequenos.” O que queres dizer com “não estás pronto”? Se tem dezenas de torreões anti-caça…

7- Maz Kanata e sua disputa sindical holográfica.

De que serve contactar Maz Kanata através de um holograma e tê-la numa disputa sindical, no meio de uma troca de blustering e usando um jetpack? Porque temos de a ver dessa forma? O que leva Maz Kanata a aceitar uma chamada nessa situação? Porque tem de ser assim e não apenas uma chamada em que Maz Kanata responde de uma forma normal e lhes dá as informações relevantes?

8- O cadáver do Snoke.

Vemos o Snoke morrer nesse tipo de Sala do Trono da Supremacia e… Bem. Aceitamos o facto de Snoke morrer e de Kylo Ren ser o verdadeiro vilão da trilogia, embora nada tenha sido explicado sobre o Líder Supremo Snoke. Mas depois é-nos mostrada uma cena em que o General Hux vai à Sala do Trono e descobre o cadáver do Snoke. Em vez de ver a tragédia daquele momento e a mudança de papéis dentro da Primeira Ordem, é-nos dado um close-up de Snoke morto, com a língua de fora e deslizando para baixo. O General Hux parece enojado. Tudo se parece com uma paródia.

9- Leia e o seu momento de Super-Homem.

Não há muito a explicar sobre isto, porque já se tornou um meme.

10- O enredo.

Há três enredos na Guerra das Estrelas: Os Últimos Jedi. Os três enredos são: a história de Kylo Ren e Rey, o que acontece com a Primeira Ordem e a Resistência e a aventura de Finn e RoseTico. Nós analisamo-los, um a um:

  1. À custa de Luke Skywalker e do Líder Supremo Snoke, Kylo Ren e King são as estrelas de ‘Star Wars: The Last Jedi’. O ‘treino’ do Rei (um único passo de três cenários) em Ahch-To serve apenas para ver a ligação entre a Kylo e o jovem sucateiro de Jakku e para aprender a verdadeira história do que aconteceu entre Luke Skywalker e o jovem BenSolo. Durante esse “treino” postula-se que o conceito de equilíbrio da Força como forma de acabar já com os Jedi e os Sith (bons e maus). Mas no final do filme essa história está morta, porque King se tornou um Jedi e, embora Kylo Ren queira deixar “o passado morrer”, ele cumprirá a função de ser o mau na frente dos bons.
  2. A história entre a Primeira Ordem e a Resistência pode ser resumida como “duas naves indo na mesma velocidade e incapazes de alcançar uma à outra com fogo”. Mas um deles não tem combustível suficiente. Muito bem, então. Mas para que serve se um grupo de caças TIE já danificou anteriormente o corpo de uma nave da Resistência (causando o “momento Leia Superman”) e não o pode fazer agora? Para que serve se tiver uma frota com um Super Star Destroyer, uma dúzia de Star Destroyers e um arsenal incontável de caças, se vai simplesmente esperar para ver? Por que eles ficam atrás da nave da Resistência? Ninguém notou que podem contorná-los usando a velocidade da luz, entrando à frente e ao lado da nave da Resistência?
  3. Finn e Rose Tico vivem uma aventura em Canto Bight (planeta-casino) que não faz sentido nenhum. Primeiro, eles são colocados na cadeia por estacionar em uma praia; ok, vamos aceitar que estas são as leis da Canto Bight. Segundo, eles vão à procura de um tipo que – segundo o MazKanata- é o único que os pode ajudar a entrar na Snoke Supremacy; mas eles vão com um tipo que… não tem bom aspecto. E, em terceiro lugar e mais importante, a missão não acaba funcionando e isso não importa. Fazê-lo ou não fazê-lo não tem qualquer repercussão. Isso não importa. Não teria mudado nada em Star Wars: The Last Jedi se Rose e Finn tivessem cumprido a sua missão.

E estou deixando de fora alguns, como o momento em que Rose Tico salva Finn em Crait, alcançando quem sabe o quê de velocidade supersônica com um Speeder que está praticamente destruído, bem como o beijo subsequente entre os dois…

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad