6 roupa suja chocante que você deve saber sobre os Estúdios Marvel

Em apenas oito anos, o Marvel Studios se tornou um dos maiores gigantes de Hollywood. No entanto, a sua ascensão ao trono do cinema super-herói não tem sido um mar de rosas. A indústria cinematográfica é perigosa e tem muitas ramificações. E é muito falador. Basta olhar para o passado mais recente para encontrar uma cena surpreendentemente conflituosa. Esta é a separação entre os estúdios Marvel (Kevin Feige) e Marvel Entertainment (Isaac Perlmutter). Uma luta de poder que terminou com os Estúdios Marvel nos braços da DisneyPictures.

No entanto, para chegar a esse ponto, a Marvel Studios já fez muitas outras coisas. Estamos a falar de coisas malucas, negócios, negócios engraçados, lutas… Agora, graças ao filme de banda desenhada, reunimos seis dessas histórias. Cenas chocantes do mundo empresarial de Hollywood relacionadas com os Estúdios Marvel. Todas elas são dignas de nota e devem ser estudadas no futuro. Pelo menos, como uma História do Cinema.

6- Robert Downey Jr. estava prestes a ser despedido.

Quando a Marvel Studios oficializou a adaptação da Guerra Civil do Capitão América 3, eles tiveram que renegociar o contrato de Robert Downey Jr. (Homem de Ferro). Inicialmente, ele só iria aparecer como um papel muito menor no filme. Então, só iam ser três semanas de trabalho. Mas a Disney Pictures insistiu em mantê-lo no ecrã por mais tempo. Esta nova perspectiva orçamental escandalizou o CEO da Marvel Entertainment, IkePerlmutter, que ordenou aos escritores que deixassem o personagem Downey Jr. fora do roteiro. Foi quando Kevin Feige teve de vestir o seu macacão. Ele surgiu com a idéia de um quadro maior na Guerra Civil e, quando tudo parecia quebrar entre o estúdio e o ator, ele chegou a um acordo que satisfazia ambas as partes. No final, Robert Downey Jr. ganhou cerca de 40 milhões de dólares pelo seu trabalho.

5- A extorsão da Marvel

Apesar do enorme sucesso da Marvel no grande ecrã, nada mudou na La Casa de las Ideas. O cuidado do Ike Perlmutter com os orçamentos continuou excessivo. Muito tem sido dito sobre como o CEO da Marvel Entertainment é “barato”. Ele até se recusou a trocar os móveis gastos da empresa quando a Marvel se mudou para o lote da Disney Pictures em Burbank. Este fato é também um grande argumento na tomada de decisão de um homem inteligente no mundo dos negócios. Não esqueçamos o “pouco dinheiro” que o estúdio pagou aos atores por suas primeiras aparições na MCU. Até Robert Downey Jr. chegou ao ponto de fazer campanha para que seus colegas recebessem aumentos salariais.

4- Avi Arad: inimigo público número 1

Embora o produtor Avi Arad tenha sido um dos principais responsáveis por abrir a porta para o gênero super-herói, ele também foi responsável por forçar Sam Raimi a fazer o Homem-Aranha 3 e por promover os filmes de O Incrível Homem-Aranha. Estranhamente, Kevin Feige e Avi Arad não se entendem de todo. As discussões comerciais entre eles terminaram com Arad fora dos estúdios Marvel em 2006, sendo Feige diretamente responsável pelas adaptações. A tensão entre os dois explica as razões que levaram Avi Arad a declarar, em 2014, contra a adesão do Homem-Aranha aos Vingadores.

3- O Conflito entre as Máquinas de Guerra

Seguindo a linha de Ike Perlmutter, o CEO da Marvel Entertainment estrelou um conflito interno relacionado à WarMachine. Em particular, com o actor TerrenceHoward. Depois de lhe pagar 5 milhões de dólares pelo IronMan, Perlmutter pôs o actor nos seus passos. Ou ele estava disposto a cortar seu salário, ou seria substituído por outro artista. Foi o que aconteceu, embora na altura os rumores apontassem para um possível caso de racismo. Ike Perlmutter poderia ter dito aos seus colegas de trabalho que “ninguém notaria a mudança porque ambos os actores são negros”. Acusações que a Marvel negou terminantemente.

2- À beira da falência

No final de 1996, a Marvel Comics estava à beira da falência. A crise criativa das suas publicações, a queda nas suas vendas e uma série de más decisões comerciais levaram a La Casa de las Ideas a essa situação. A ação, que em 1993 valia $35,75, estava em $2.375. Por essa razão, a Marvel foi obrigada a vender todos os direitos do filme a personagens como Homem-Aranha e X-Men. Entretanto, investidores multimilionários lutaram para controlar a empresa. Era um certo Ike Perlmutter que acabaria se tornando o CEO em 2005, depois de liderar a Marvel durante todo esse tempo e proteger a empresa da bancarrota absoluta.

1- A indiferença com o Daredevil e o negócio falhado com a Fox

Embora a série Daredevil (Netflix) tenha sido um sucesso, este personagem nunca foi uma prioridade para Kevin Feige. Foi por isso que o enviou para a Marvel Television depois de recuperar os direitos, apesar de Joss Whedon ter lutado para dar um filme a solo ao Homem Sem Medo. Mas nem mesmo para isso. Kevin Feige até admitiu não ter visto a série inteira de televisão. Curiosamente, quando a Fox tentou fazer um reinício do Daredevil com Joe Carnahan (The Grey) para não perder os direitos, Feige ofereceu-lhes um acordo. Eles dariam ao estúdio tempo extra para reiniciar as produções dos anos 70 em troca dos direitos dos Fantastic Four, Galactus e SilverSurfer. Mas a Fox recusou categoricamente.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad