A Comunidade (2000) por Alex de la Iglesia

The CommunitySpain

(2000) *

Duração: 125 Min.

Música: Roque Baños

Fotografia: Kiko de la Rica

Roteiro: Jorge Guerricaechevarría e Álex de la Iglesia

Endereço: Álex de la Iglesia

Intérpretes: Carmen Maura (Julia García), Emilio Gutiérrez Caba (Emilio Garrido), Eduardo Antuña (Charly), Terele Pávez (Ramona), Roberto Perdomo (Oswaldo), Paca Gabaldón (Hortensia), Jesús Bonilla (Ricardo), Sancho Gracia (Castro), Kiti Manver (Dolores), María Asquerino (Encarna), Marta Fernández Muro (Paquita), Ane Gabarain (Karina), Manuel Tejada (Julián Chueca), Enrique Villén (Domínguez), Eduardo Gómez (García).

Julia García, que trabalha em uma agência imobiliária, vem um dia para mostrar um apartamento localizado em um antigo edifício no centro de Madrid. Ela está tão impressionada com o luxo do apartamento que não sente falta da cama de água, da sauna e do jacuzzi que decide aproveitar o fato de ter as chaves do apartamento para preparar um jantar suculento, fazendo Ricardo, seu marido, vir vestido de smoking para passar uma noite de luxo e luxúria com ele.

Mas Ricardo não parece apreciar tanto o luxo como ela. Ele tem vivido em amargura desde que foi despedido da companhia de seguros mútua onde trabalhou há quatro anos.

Julia tenta animá-lo, lembrando-lhe que não vão para a cama há seis meses, mas ele não se concentra, dizendo que ouve a televisão do vizinho, e acaba ficando de mau humor por um bando de baratas e água caindo de uma fenda aberta no teto, para finalmente adormecerem no sofá, Acordando na manhã seguinte à campainha da porta, Ricardo tem que se esconder na varanda para não ser visto, ficando ensopado na chuva enquanto sua esposa tem que mostrar o chão para um casal, que, vendo o estado do quarto, decide chamar os bombeiros.

Os bombeiros derrubam a porta do vizinho de cima para o deleite de todos os vizinhos que parecem odiar o dono do apartamento.

Descobrem que o apartamento está cheio de lixo, com o dono morto em frente à televisão e meio comido pelos gatos.

Julia, que todos levam para o novo dono do apartamento lá em baixo, descobre outro vizinho à procura de algo.

Ao derrubarem o corpo, Júlia consegue uma carteira que cai do morto, descobrindo o que parece ser uma palavra cruzada feita à mão, compreendendo à noite quando vê um anúncio para “Sr. Limpo”, que o que foi desenhado não é uma palavra cruzada, mas um plano dos azulejos da casa do morto, no qual ele entra à noite apesar do selo, conseguindo encontrar vários sacos cheios de dinheiro enterrados debaixo dos azulejos graças ao plano.

Depois de carregar as malas, ela desce até “sua casa”, embora antes de chegar lá, Ramona, uma das vizinhas, sai, pensando que Julia vai levar o lixo para baixo, e a acompanha até a rua, até ver que ela o jogou no recipiente.

Ela os pega logo depois, sem a supervisão de Ramona e pouco antes do caminhão do lixo levá-los.

Ricardo chega com um olho negro e suas roupas destruídas. O dono da discoteca, além de espancá-lo, despede-o, para que ele não esteja com disposição de atender a sua esposa, a quem reprova por lembrá-lo constantemente de que ele é despedido de todos os seus empregos e que é ela quem agora tem um salário fixo e que dirige a casa, indo para casa sem querer se entregar a fantasias de pessoas ricas, não dando a Júlia a oportunidade de lhe contar o que aconteceu.

Julia recebe a visita de um de seus vizinhos, Oswaldo, um cubano que a convida para uma festa que ela vai celebrar naquela noite em seu apartamento, pois é o aniversário do dia em que ela chegou a Madri, e Julia, que se sente imediatamente atraída por ele, aceita.

Durante a festa, que é assistida por todos os vizinhos, ela é finalmente apresentada a Emilio Garrido, que acaba de chegar da Eurodisney, onde ele estava quando o vizinho lá em cima morreu.

Encarna e Paquita dizem-lhe que o morto foi atingido por uma piscina de futebol, e que desde então não saiu do seu apartamento.

A cubana a conquista e eles dançam juntos, depois, meio bêbados, sobem para a casa ocupada por Julia, que vê através do olho da porta como vários vizinhos batem em Domínguez, já que ela disse a Hortensia e Dolores, que ele também entrou estava no chão.

Finalmente ele vai para a cama com o cubano, sem perceber que enquanto o fazem o resto dos vizinhos entraram à socapa na casa, descobrindo quando acorda depois de ouvir todos os vizinhos na sua sala agitarem tudo e procurarem o dinheiro.

Ela os expulsa ameaçando chamar a polícia, descobrindo então que Oswaldo também está virando tudo de cabeça para baixo, e o expulsando também, entendendo que foi ele quem abriu a porta para eles e que está agindo com o mesmo interesse que eles.

Ela então tenta sair de casa, e Dominguez aparece dizendo que estão esperando por eles lá embaixo e que vão matar os dois, assim como mataram o engenheiro que antes vivia na casa que ela ocupa por não aceitar as regras da comunidade, recusando-se a participar dos turnos de vigilância estabelecidos para evitar que seu vizinho fugisse com os 500 milhões – que Julia esclarece que são apenas 300 – que eles conseguiram das piscinas, e que estavam todos esperando a morte do velho para pegar seu dinheiro e distribuí-lo.

Logo Julia verá que os receios de Dominguez não eram infundados, pois enquanto tentava escapar no elevador que tinha parado entre dois andares, o cabo deste rompe-se, deixando Dominguez preso entre o teto do elevador e o chão, pois tinha meio corpo lá fora, terminando seu corpo cortado ao meio.

Assustada, Julia se esconde na casa de Hortensia, que ela consegue manter reduzida com uma faca, e que lhe diz que concordaram em compartilhar tudo igualmente e que não queriam ferir ninguém.

Ao tentar sair da comunidade, ela usa a Hortensia como refém, sem lhes prestar atenção, mesmo que lhe digam que a vão partilhar com ela.

Então Castro sai armado com sua espingarda pronta para acabar com ela, salvando-a da chegada da polícia, que vem investigar a morte de Dominguez, tentando aproveitar a situação para escapar, embora Garrido diga à polícia que ela foi a última a vê-lo vivo, então ela terá que ser interrogada.

Depois ela tenta sair com os agentes, aproveitando a presença dos agentes para deixar a comunidade com a mala do dinheiro, embora depois um vizinho lhe diga que ela deixou a porta aberta e eles a fazem subir de novo, sendo trancada novamente no seu apartamento junto com Garrido, que a bate brutalmente, lamentando que tudo tenha acontecido durante as únicas férias que ela se permitiu em 20 anos, dizendo-lhe que o crédito pela piscina era dela, porque ela lhe contou o resultado que lhe deu o dinheiro.

Ele lhe diz que não está disposto a perder algo pelo qual lutou durante tantos anos e que todos os vizinhos sonham em poder resolver seus problemas com esse dinheiro. Julia lhe diz que sabe que esse dinheiro não é para a comunidade, mas que ele vai ficar com tudo, porque ela acha que se ele foi capaz de matar, primeiro o engenheiro e depois Domínguez, não é para 30 milhões, mas para 300 milhões.

Garrido, armado com uma enorme chave inglesa, prepara-se para acabar com ela no banheiro, embora, quando parece que ele não será capaz de se salvar do ataque, Julia puxa o tapete e faz Garrido cair e bater com a cabeça, sendo ele quem morre.

Ele consegue arrastá-lo para a cama, fingindo quando um colega da agência imobiliária chega para substituí-la que ele é seu amante, e conseguindo livrar-se dele desta forma, após o que ela se deita para descansar ao seu lado, percebendo então que ele não está morto e que ele acorda.

Há um toque da campainha, e quando ela chega à porta Oswaldo fala com ela, tentando convencê-la de que ele está muito atraído por ela e que pode ajudá-la a fugir juntos, mas quando ela abre o buraco da porta e olha ela percebe que ao seu lado estão os outros vizinhos armados, esperando que ele saia e acabe com ela.

Então Garrido veio até ela e, depois de pegar a faca que ela carregava, tentou matá-la, sendo obrigado a acabar com ele com uma lâmpada, embora os vizinhos, cansados de esperar, quebraram a porta, e ela teve que se esconder na varanda depois de quebrar o cordão do cego.

Com isto amarra a mala e atira-a para o andar superior, onde ela sobe, apesar do enorme perigo envolvido, chegando finalmente à varanda da casa do vizinho, onde ela finalmente desmaia.

Ele amarra a mala com a corda desta e atira-a para outro chão, onde subirá aquela porta, pendurada antes de começar a subir para outra varanda, a do morto, caindo ali num desmaio.

Não vai demorar muito até que os vizinhos percebam que ela está lá, salva pelo filho de Dolores, Charly, que está um pouco atrasado, mas depois de vê-la nua no chuveiro, ele foi apanhado por ela, ajudando-a a escapar por um buraco no telhado para o telhado.

O menino explica a ela que era amigo do velho morto, a quem ele ajudou a planejar a fuga, o que não aconteceu porque ele morreu antes, prometendo que a ajudaria fazendo-se de bobo, como sempre.

Charly, que é obcecado por Darth Vader, aquele que ele está sempre disfarçado, tenta de fato distrair os vizinhos com sua espada de plástico enquanto Julia foge pelos telhados carregando sua mala.

Durante a perseguição que ocorre nos telhados e telhados do centro de Madrid, Oswaldo e Castro também lutam entre si, o que permite a Júlia ganhar alguma vantagem, terminando com Oswaldo após a discussão pendurada no mastro do edifício do BBVA na Calle de Alcalá, do qual ele acaba caindo e morrendo, enquanto Castro, embora coxo, continua a perseguição, observada de mais longe pelo resto dos vizinhos, incluindo Ramona, que, Em posse da espingarda de Castro atira em Júlia, embora falhe o tiro, por isso Castro a chama de estúpida, antes da qual Ramona atira novamente, embora desta vez não contra Júlia, mas contra o próprio Castro, depois do que será ela a continuar a perseguição de Júlia, que sobe ao topo do edifício, onde logo após a chegada de Ramona, ocorre uma luta entre as pernas dos cavalos das carruagens das esculturas de Higinio Basterra que coroam o edifício.

Finalmente Ramona a empurra, embora Julia consiga segurar a perna de um dos cavalos, de onde ela pende, conseguindo voltar ao pedestal onde ela argumenta com Ramona que lhe diz que eles são igualmente ambiciosos porque nascem assim, pedindo-lhe que reconheça que ela é como ela, o que Julia se recusa a aceitar, e que lhe prove que ela diz “você nunca faria isso”, ao atirar a mala com o dinheiro, que Ramona leva e não larga mesmo que ao fazê-lo, ela perde o equilíbrio e cai num pátio onde morre abraçada pela mala, os vizinhos correndo para o lugar onde ela caiu, lutando entre si para pegar a mala, não percebendo que Charly está fugindo com uma mala como ela.

No dia seguinte a notícia aparece no jornal que um grupo de vizinhos se matou por dinheiro que não existia, aparecendo entre os anúncios no mesmo jornal, um de um cavaleiro Jedi que está procurando uma princesa para um relacionamento sério, apontando que ele vai esperar por Júlia todos os dias às 6 horas da noite no Urso e no Arbutus.

Depois de passar vários dias em Puerta del Sol, sem sucesso, Julia finalmente descobre que “El Oso y el Madroño” é um bar, onde finalmente encontra Charly, a quem pergunta por que ele não lhe disse que a mala que levava era falsa, assegurando-lhe que, se o tivesse feito, os outros a teriam notado e ele não teria conseguido escapar, e teriam dançado juntos ao ritmo de um órgão de barril.

Vemos então a mala novamente, agora aberta no pátio em meio ao sangue de Ramona e cheia de contas do Monopólio que Charly acumulou ao longo dos anos.

Classificação: 3

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad