Alien³ (1992) por David Fincher

Alienígena³.Alienígena³Alien³

(1992) * EUA

Duração: 115 Min.

Música: Elliot Goldenthal

Fotografia: Alex Thomson

Roteiro: Walter Hill, David Giler, Larry Ferguson (História: Vincent Ward) (Baseado em personagens criados por Dan O’Bannon e Ronald Shusett)

Diretor: David Fincher

Artistas: Sigourney Weaver (Ellen Ripley), Charles Dutton (Dillon), Charles Dance (Jonathan Clemens), Paul McGann (Golic), Brian Glover (Harold Andrews), Ralph Brown (Aaron), Danniel Webb (Morse), Christopher John Fields (Rains), Holt McCallany (Junior), Lance Henriksen (Bishop II), Pete Postlethwaite (David).

O Tenente Ripley viaja com Hicks, Bishop e Rebecca de volta à Terra, embora enquanto eles estão hibernando, um alienígena, que entrou à socapa em sua nave, quebrou seus tubos criogênicos causando o disparo de alarmes e um incêndio a ser iniciado pela Mãe e o módulo em que eles estão viajando decola da nave mãe.

Aterram depois disso num planetóide, o Fiorina 161 (“Fury”), uma prisão de trabalho de alta segurança para prisioneiros muito perigosos com o cromossoma duplo YY e que antes era uma refinaria de minerais.

Uma mensagem chega imediatamente ao planetóide da Corporação Weyland-Yutani pedindo um relatório sobre a colisão da unidade 2650, então um grupo de resgate sai imediatamente para o local onde aconteceu, tendo que trabalhar rapidamente antes de chegar a 20 abaixo de zero, observando que das três pessoas que estavam viajando na unidade duas estão mortas, estando também inoperante Bishop, o humanóide sintético.

O único sobrevivente, o Tenente Ripley, é levado para a enfermaria.

O Superintendente Andrews explica aos prisioneiros e ao resto do pessoal o que aconteceu, a colisão de um VSE 337 no qual foi encontrado um sobrevivente.

Isso faz com que todos se revoltem, porque mesmo que tenham feito um voto de castidade, temem que a presença de uma mulher abane seus princípios, então Dillon pede que ela seja impedida de se misturar com eles, porque isso violará a harmonia e a ruptura de sua unidade espiritual.

Em resposta, Andrews diz ter pedido uma equipe de resgate para evacuá-la o mais rápido possível.

Clemens, o médico, explica que a mulher está em boas condições, embora inconsciente, pensando que vai se recuperar, pedindo a Andrews que não a deixe sair da enfermaria sem custódia.

Após a reunião, Clemens vai vê-la e injecta-lhe um complexo para a ajudar a acordar sem problemas, uma vez que ter recuperado a consciência abruptamente vai deixá-la tonta durante várias semanas.

Em seguida, ele a atualiza sobre o que aconteceu e deve informá-la da morte de seus companheiros, explicando que ela está em uma prisão que foi criada para 5.000 prisioneiros, embora na época sejam apenas 25, encarregados de manter a caldeira da fundição natural de metano bloqueada, sendo sua missão criar recipientes com folhas de chumbo para resíduos tóxicos.

Clemens a leva aos restos mortais de sua unidade, dizendo-lhe que Rebecca se afogou, observando que no tubo criogênico de Rebecca há vestígios de corrosão que ela associa com a produzida pelos alienígenas, então ele pede a Clemens que lhe permita examinar o corpo da jovem mulher.

Uma vez no tanque ela pede para ficar sozinha com ela, Clemens e outro dos homens se retiram em sinal, embora observem que ele examina a garota como se estivesse procurando algo dentro dela, pedindo depois que façam a autópsia, assegurando que ele teme que ela seja portadora de cólera, uma doença que o médico garante que foi erradicada e da qual nenhum caso foi conhecido nos últimos 200 anos.

No entanto, ele conseguiu uma autópsia, que provou que, como o médico havia previsto, seus pulmões estavam inundados, então ele perguntou a Ripley o que ele realmente estava procurando.

O superintendente chega e se apresenta a Ripley, pedindo-lhe para não pavonear suas coisas na frente dos prisioneiros, ordenando que os corpos sejam mantidos em gelo, embora Clemens apóie o conselho de Ripley de queimá-los para evitar infecção.

Andrews explica a ela que embora os prisioneiros tenham se tornado religiosos, eles ainda são muito perigosos, pois todos eles têm um cromossomo YY duplo.

Durante o ritual de despedida, Dillon, que é o líder espiritual dos prisioneiros, diz uma oração.

Nesse momento e ali, o cão que vive com eles, Spike, começa a convulsionar até que um extraterrestre saia dele.

Quando Ripley desce à sala de jantar, já barbeado como todos os habitantes do planetóide para evitar os piolhos, encontra todos os homens à espera, agradecendo a Dillon pelas suas palavras, embora o lembre que é um violador como os outros.

Clemens diz-lhe que os 25 convertidos, quase fundamentalistas religiosos, foram autorizados a permanecer como guardas, juntamente com dois supervisores e dois médicos.

Ele insiste em perguntar-lhe o que ela procurava no corpo da garota, embora ela desvie a pergunta e pergunte se ela a acha atraente, já que ela está no espaço há muito tempo.

Um dos homens encontra os restos da muda de roupa do alienígena e ouve um barulho que confunde o alienígena com o cão, que acaba por ser estilhaçado e atirado para as pás do ventilador.

Ripley acorda ao lado de Clemens que lhe agradece pelo carinho depois de ter dormido com ela, mas insiste em perguntar-lhe o que procurava, dizendo que teve um sonho terrível durante a hibernação, dizendo que não devia ter tido contacto físico com um prisioneiro, como é proibido pelo regulamento, dizendo que ele não é um prisioneiro apesar de ter um código de barras tatuado na parte de trás do pescoço.

Clemens recebe um aviso para entrar depois que o corpo despedaçado do prisioneiro é encontrado surpreendido pelo alienígena, todos acreditando que foi destruído pelo ventilador. Clemens aponta que o ventilador move o ar, mas não o suga, encontrando os restos moles do alienígena, embora eles não saibam o que eles são.

Ripley, por sua vez, acessa a nave da qual tira um de seus componentes, sendo surpreendido por Clemens que deve explicar que ele descobriu uma queimadura a poucos metros do local do acidente como ele viu no criotubo da garota, então ele pede que ele lhe diga o que acontece ou o que ele pensa que acontece.

Clemens é chamado pelo superintendente para lhe dizer que eles foram levados ao seu conhecimento pela primeira vez porque consideram Ripley um alvo prioritário, culpando-o por deixá-la sair da enfermaria, alegando que o homem que morreu o fez porque não estava ciente da excitação de ter uma mulher lá, então ele pede que ela lhe conte tudo o que ela sabe e ameaça contar a Ripley seu passado se ela não cooperar.

Entretanto, este último vai para o lixo, onde recolhe os restos mortais do bispo, já que a prisão carece de computadores potentes, e leva consigo parte do seu corpo. É então surpreendido por vários presos que a encurralam e atacam, prontos a estuprá-la, evitando Dillon, que chega ao lugar e os espanca, assegurando-lhes que ele deve reeducar alguns dos irmãos.

Enquanto trabalham, um grupo de três prisioneiros vê as velas se apagarem, o que indica a existência de uma corrente de ar, e um deles se separa para voltar a acendê-los, sendo surpreendido pelo alienígena que acaba com ele.

Quando os seus dois companheiros vêem o monstro atacando-o, tentam escapar, embora ele finalmente os apanhe, acabando com outro deles.

Ripley, por sua vez, consegue recuperar a funcionalidade do humanóide ao qual consegue se conectar e pedir acesso ao gravador de vôo, repetindo os dados do computador que anuncia a existência de um incêndio no Sulaco devido a uma falha elétrica.

Ele lhe pergunta se havia um estrangeiro a bordo, este responde afirmativamente, dizendo-lhe também que não ficou no Sulaco, mas que chegou com eles à penitenciária, e que os Weyland-Yutani sabem tudo e o amam.

Bishop pede que ele o desconecte, pois está sofrendo e sabe que nunca mais será o melhor de sua série, Ripley concorda com seus desejos e o desconecta.

Golic, o homem que sobreviveu ao ataque do alienígena vem correndo para o superintendente e conta que um dragão que se alimenta de cérebros acabou com seus companheiros Boggs e Rains, levando-o todo para a loucura, embora Dillon assegure que ele nunca foi um mentiroso apesar de seus problemas mentais, aparecendo então Ripley, que o ouviu contar a história afirmando que ele não é louco.

O superintendente a faz ver que ela não o conhece e lhe diz que ele é um assassino condenado e reincidente de assassinatos brutais, embora ele finalmente concorde em escutá-la, contando-lhes a história do alienígena, o que indica que eles devem exterminar se não quiserem que seja ele a acabar com eles.

Mas infelizmente eles têm armas devido ao tipo de reclusos que lá vivem, embora esperem que possam terminar os suprimentos com a criatura na época ordenando que Ripley seja confinado na enfermaria em quarentena e “a salvo do alienígena”.

Ripley pergunta a Clemens se há alguma forma de escapar da Fúria, apontando que o único contato com o mundo exterior é o navio de abastecimento que vai lá a cada seis meses.

No entanto, ele recusa-se a contar ao Clemens sobre a sua conversa com o Andrews.

Ela pede que ele seja honesto com ela e lhe diga a verdade sobre o porquê de ele estar lá.

Ele confessa que quando terminou a corrida estava secretamente viciado em morfina, mas era um jovem promissor, até que depois de um turno de emergência de 36 horas ele ficou bêbado e quando foi chamado de volta devido a um acidente na caldeira muitas pessoas morreram não por causa do acidente, mas porque ele prescreveu uma dose excessiva de analgésicos.

Condenado a sete anos naquela prisão, ele decidiu ficar lá após a sua evacuação, sabendo que não encontraria trabalho como médico em nenhum outro lugar.

Ao sentir-se mal, Clemens injecta-lhe um dos seus medicamentos quando de repente o extraterrestre aparece atrás dele e o destrói, sem que Golic, atado de mãos e pés como um louco, possa mover-se.

Depois disso, o monstro aproxima-se de Ripley, embora ele não lhe faça nada.

O superintendente tenta explicar os fatos, de forma racional, tentando montar uma equipe para encontrar Boggs e Rains, temendo que o Golic os mate.

Ela chega à reunião dizendo que o alienígena atacou Clemens, o que Andrews pensa ser um disparate, pedindo a Aaron que a devolva à enfermaria quando o monstro aparecer do telhado e levar o próprio Andrews.

Sem o superintendente e já conscientes do perigo, eles pensam em como se organizar, pedindo ajuda a Ripley, o único oficial presente, já que Dillon se recusa a ser o líder.

Ela lembra que, embora este estrangeiro seja diferente dos outros que viu, aqueles só tinham medo do fogo, por isso ela sugere selar a área, embora a instalação seja composta por 16 quilômetros quadrados e 600 dutos de ventilação que a tornam quase inviável.

Morse sugere terminar com ela, que foi quem carregou o monstro, embora Dillon lhe peça novamente para ficar quieto.

Chegam a um armazém que albergava resíduos radioativos e nunca foi utilizado, com paredes de 1,5 metros de aço e apenas uma entrada, mantendo ali centenas de tambores de quinitricetilina, que é muito potente.

Eles preparam uma armadilha despejando o líquido no chão e depois ateando fogo, embora enquanto o fazem o homem que carregava o isqueiro seja surpreendido pelo alienígena, que o deixa cair causando uma tremenda chama na qual vários outros homens morrem.

Eles devem mudar seu plano após o primeiro falhado, discutindo Morse e Aaron o que fazer, pedindo a Dillon para se encontrar nas velhas caldeiras.

Ripley começa a se sentir mal, então ele decide voltar ao módulo em que caiu, onde um scanner ainda funciona, tentando procurar por uma fratura.

Aaron a ajuda, que vê que o que aparece é um tecido estranho, entendendo que tem algum bicho dentro, que ela entende que é um alienígena.

Temendo que se o alienígena deixar o planetóide destrua a Terra, Ripley pede a Aaron que envie uma mensagem dizendo que eles estão infestados de toxinas nucleares para que não vão resgatá-los, mas Aaron quer que eles sejam resgatados e impede que ele o envie, recebendo em troca outra em que eles indiquem que uma equipe médica chegará em duas horas, sendo sua prioridade absoluta manter Ripley em quarentena.

Ripley acredita que ela deve se sacrificar, saindo para procurar o alienígena na esperança de que ele acabe com ela, embora quando ele o encontra ele veja que isso não lhe faz nada, então ele pede a Dillon para matá-la ele mesmo, pois ele carrega dentro de si uma rainha que vai criar milhares de monstros à sua imagem, então ele pede a ele para matá-la em silêncio e sem orações, fazendo-o ver que ele vai morrer de qualquer maneira.

Mas Dillon diz-lhe que quer terminar com a criatura e ela pode ajudá-los, concordando em ajudá-los em troca de eles a matarem mais tarde.

O resto dos homens são a favor de esperar por reforços, ao que Ripley lhes garante que quando os reforços chegarem os matarão a todos por terem visto, explicando-lhes como antes sacrificaram a tripulação de um navio e alguns fuzileiros.

Dillon se propõe a aproveitar o fato de que eles estão numa fundição, atraindo-o para o molde e mergulhando-o no magma, e Dillon consegue convencê-los.

A fundição está fora de ação há mais de cinco anos, e eles devem estar confiantes de que não falharão, com um homem agindo como isca para atrair a criatura para o local, e outro fechando os portões atrás dele para que ele não possa voltar.

Eles começam mal, pois o homem que o atrai leva-o para o canal B, em vez do canal A, embora ele surpreenda vários dos homens.

Ele também está prestes a terminar com Kevin quando Dillon aparece e consegue resgatá-lo e levá-lo embora ele morra de qualquer maneira. Ripley e o próprio Dillon correm com muito pouco tempo para terminar a missão com sucesso.

Enquanto isso, o navio de resgate chega e é recebido por Aaron.

Com a maioria dos homens mortos e quase sem tempo, Ripley decide atrair a besta ele mesmo, mas não consegue. Dillon consegue levar o próprio Ripley para o molde, levando Morse ao mecanismo que fará o chumbo sair.

Dillon faz Ripley sair, apesar de seu desejo de morrer, mas ele fica dentro do molde para que o monstro o ataque e ele não pensa em escapar quando Morse faz o magma ser derramado sobre eles.

Mas apesar de tudo, a criatura consegue sair e corre em direção a Ripley, que consegue ativar os aspersores de incêndio, fazendo com que o metal derretido que cobria o alienígena expluda em milhares de pedaços, matando a besta.

A equipe de resgate chega para buscar Ripley, que vê que entre eles há uma pessoa idêntica a Bishop, embora ele diga que não é um humanóide assim, mas seu criador, que lhe assegura que querem ajudá-la a extrair o embrião de dentro dela na sala de operações que têm em sua nave.

Ela pede-lhes garantias de que, uma vez removida, a destruirão, perante as quais o Bispo lhe diz que deve confiar nele para o que ela recusa.

Eles vêem os homens que foram com Bishop para pegá-los, atirando em Morse na perna, pedindo a ela para ajudar.

Aaron, percebendo que Ripley estava certo, atinge Bishop com uma chave inglesa, e é morto a tiro depois.

Bispo pede a Ripley que a deixe ficar com a criatura, pois ele lhes ensinará muitas coisas, vendo como Ripley ao invés disso se joga no molde cheio de chumbo derretido, e embora quando ele cai a criatura sai de dentro, ela a segura e a impede de escapar.

A prisão está fechada, levando os visitantes a Morse, o único sobrevivente vivo, que sorri quando vê que eles não puderam realizar seus desejos malignos.

Classificação: 2

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad