Análise 3×01 ‘Gotham’.

A terceira temporada de Gotham chegou, e com ela, muitas das questões pendentes que se resolveram no final do segundo ano desta prequela para o universo Batman no pequeno ecrã. Tudo o que aconteceu na conclusão dessa segunda parcela é levado aqui desde o início, apontando o foco – obviamente – para os dois grandes protagonistas da série: James Gordon e BruceWayne. Neles vamos basear esta primeira análise do primeiro episódio do terceiro arco do enredo de Gotham. É claro que comentaremos aspectos derivados disso, então, se você não viu e não quer saber de nada, você está a tempo de evitar possíveis estragadores.

James Gordon: De polícia a caçador de recompensas

Vamos rever o que aconteceu na última sessão. Os prisioneiros do Asilo Arkham que foram deslocados para o projecto Indian Hill acabaram por ser experiências humanas propagadas pela mente maligna de HugoStrange, com a ajuda da sua inestimável Peabody. Resultado? Falhou, como sempre. A alteração do DNA desses pacientes mentais acabou tendo conseqüências inevitavelmente desastrosas e o aparecimento de uma espécie de meta-humano. Incentivados pelo Fish Mooney (a quem foi dado o poder de alterar a vontade da pessoa que tocava), estes “monstros” escaparam de Indian Hill e povoaram Gotham. Alguns com a capacidade de envelhecer o seu semelhante; outros com a aparência de um Manbat mal estilizado. O fato é que Mooney aproveitou a situação para reagrupar as fileiras e tentar retomar o trono mafioso que Oswald Cobblepott (O Pinguim) ocupa em Gotham.

É precisamente o Pinguim que, neste início da terceira temporada, coloca um preço na cabeça do Peixe Mooney: um milhão de dólares. Enquanto isso, estamos realocando personagens como Barbara Kean (uma espécie de versão adocicada de Harley Quinn) e seu parceiro Tabby (dono de um clube), Selina Kyle/Catwoman (com Fish Mooney) e Poison Ivy (cuja origem poderia ter sido no final deste episódio), e Edward Nygma (atualmente preso no Asilo Arkham). O fato é que Gordon, fora do GCPD (Gotham City Police Department) ao serviço do Capitão Barnes, continua a manter contato com seu antigo colega Harvey Bullock e passou os seis meses (que vemos na forma de elipse) para ser um caçador de recompensas pegando os metahumans de Indian Hill à solta. Juntamente com uma das novas personagens desta nova série, a jornalista Valerie Vale (você já ouviu falar dela, certo?), e a informação de que Bullock a tem alimentado, Gordon fecha o círculo em torno de Fish Mooney para pegá-la. Mas as coisas, com os meta-humanos, nunca acabam bem.

Bruce Wayne: Não brinques com pássaros se não usares um morcego.

O jovem Bruce Wayne regressa a Gotham após umas curtas férias na Suíça com Alfred, como descobriu no final da época passada – também em Indian Hill – que uma organização conhecida como Owl Court se infiltrou nas Empresas Wayne e ameaça explodir os pilares do negócio familiar do futuro Batman. Bruce adverte, durante uma reunião, sobre as informações que possui sobre a maioria dos altos executivos da Wayne Enterprises… deixando assim clara a sua posição intocável.

No entanto, Bruce ainda não é o Cruzado do Cabo. Nem por sombras. O Tribunal das Corujas toma este aviso gritante como uma afronta pessoal, uma espécie de declaração de guerra com a qual chegamos ao penhasco do episódio um da terceira temporada. A ideia é clara: Bruce Wayne está em perigo com Alfred em cheque.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad