Ang Lee fala sobre A Vida de Pi

Em THE LIFE OF PI, o diretor Ang Lee (“Brokeback Mountain”; “Tiger and Dragon”) compõe uma experiência cinematográfica inovadora sobre um jovem que sobrevive a uma catástrofe no mar, o que o precipita numa viagem épica cheia de aventura e descoberta. Durante o seu naufrágio, Pi faz uma ligação incrível e inesperada com outro sobrevivente… um temível tigre de Bengala.

Baseado no livro de mesmo nome, que já vendeu mais de sete milhões de cópias e está nas listas dos mais vendidos há anos, a PI’S LIFE tem lugar em três continentes e dois oceanos, ao longo de muitos anos, e num universo imaginativo profuso. A visão de Lee, juntamente com os impressionantes efeitos visuais 3D, transformou um romance há muito considerado impossível de capturar na tela, em uma emocionante e ousada combinação de uma grande história com temas poderosos e sugestivos.

Desde o início do projeto há quase quatro anos, Lee tem se esforçado para criar uma visão única da história inesquecível de coragem, perseverança, inspiração e esperança escrita por Yann Martel. O filme nos leva à incrível aventura de um jovem; uma aventura ao mesmo tempo emocionante e espiritual; angustiante e triunfante; divertida e inspiradora.

Ao contar-nos a história de Pi, Lee excede os limites das mais avançadas tecnologias cinematográficas. PI’S LIFE simboliza uma época em que a ciência e a arte do cinema deram um salto gigantesco, como se vê nos efeitos visuais de “Titanic”, no revolucionário 3D de “Avatar” e nas imagens geradas por computador de “A Origem do Planeta dos Macacos”, que trouxeram emoção e profundidade sem precedentes ao personagem de César. E como César, Richard Parker em A VIDA DE PI é um personagem plenamente realizado que está muito próximo, fazendo o espectador acreditar que ele está realmente naquele bote salva-vidas com Suraj Sharma, o ator que interpreta Pi.

THE LIFE OF PI é a primeira incursão de Lee na tecnologia tridimensional, que o cineasta havia imaginado para esta história muito antes de ‘Avatar’ chegar aos cinemas. Lee usa esta técnica para dar ao filme uma escala maior, assim como para imergir fisicamente o público na jornada de Pi e para envolvê-lo emocionalmente na história. “Eu queria que a experiência cinematográfica fosse tão única quanto o livro de Yann Martel”, diz Lee, “e isso exigia fazer o filme em outra dimensão“. 3D é uma nova linguagem cinematográfica, e em LIFE OF PI serve para imergir o espectador tanto no estado emocional dos personagens como, a um nível épico, na aventura”.

Abertura a 30 de Novembro.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad