Batman: Maldito | O cavaleiro mais sombrio, mais escuro, mais terrível

Se uma dupla artística trabalhou com grande força no mundo dos quadrinhos, esta foi a selada por Brian Azzarello e Lee Bermejo que deixaram grandes obras como ‘Joker’, ‘Lex Luthor‘ e ‘Before Watchmen: Rorschach‘. O roteirista e cartunista agora despe o Cavaleiro das Trevas em ‘Batman: Damned’, que o ECC publicou e inaugura recentemente a linha Black Label da DC Comics, uma história muito sombria com uma pitada de terror, com o Morcego à beira do desespero e da loucura.

Com Azzarello e Bermejo por trás desta história, que ninguém pense em nada agradável para o seu protagonista. Já nas primeiras vinhetas se nota isto porque vemos um Batman a morrer numa espécie de ambulância. Seu sofrimento só começa em uma história cheia de sofrimento. As ilustrações escuras e severas de Bermejo ajudam a criar uma atmosfera aterrorizante, que coloca o leitor num estado de tensão constante. Azzarello também se refere, na história, ao passado de Bruce Wayne e de seus pais.

Mesmo os inimigos do herói de Gotham não estão seguros. O cômico começa com uma grande morte, a do próprio Joker, e é um mistério se foi o Batman quem quebrou o pescoço ou se alguma das forças sinistras que habitam Gotham o fez. O Batman não se lembra de nada completamente e está determinado a investigar o que aconteceu ao seu principal inimigo. A história apresenta convidados famosos como John Constantine, que ajuda o Cavaleiro das Trevas a descobrir o assassino do Joker, mas também Deadman, que avisa o Batman de que há uma conspiração contra ele. “Forças negras, meu.”

Neste primeiro número publicado pela ECC Ediciones, Bermejo deixa vinhetas completamente antológicas como a de Bruce Wayne nu na Batcave em frente ao fato de morcego, como se tivesse levado uma vida própria, ameaçadora.

Batman: Bebidas “malditas” das melhores histórias de detectives do Cavaleiro das Trevas, mais as mais aterradoras porque esse sempre foi o Batman. E destaca-se pelo facto de ser uma nova demonstração de que os artistas podem moldar a história do Batman à sua maneira, à sua vontade, mas respeitando essa base de quem é o personagem e a sua história, a sua lenda. Esse certamente tem sido o grande sucesso do Cavaleiro das Trevas, com muitos e muitos artistas revisitando e moldando-o.

A controvérsia engoliu a banda desenhada quando foi revelado que a DC Entertainment tinha censurado o desenho animado do pénis de Bruce Wayne a ser despido à chegada à Batcave. Apesar disso, havia cerca de 115.000 cópias em circulação contendo o nu completo de Wayne. O desenho animado também foi censurado em plataformas de quadrinhos digitais.

Acho que tomámos algumas decisões precipitadas depois da publicação da banda desenhada”, disse o editor e cartunista Jim Lee, “e houve alguns erros de produção que levaram a que o trabalho fosse publicado da forma como acabámos por o ver… E acabou por ser uma grande história“. Mas, felizmente, as pessoas estavam muito satisfeitas com a história e o seu conteúdo. A arte é linda e a história que Brian Azzarello e Lee Bermejo criaram realmente se conectou com os leitores.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad