Carmina o revienta (2012) por Paco León

Carmim ou estouroCarmina ou explode a Espanha

(2012

)

Duração: 70 minutos.

Música: Pony Bravo

Fotografia: Juan González Guerrero

Roteiro e Direção: Paco León

Artistas: Carmina Barrios (Carmina), María León (María), Paco Casaus (Antonio), Ana Mª García (Ani), Raimundo Carrasco (Basilio), Fran Torres (agente de seguros), Miguel Alcíbar (colecionador Frac).

Carmina chega a sua casa de manhã cedo com um saco de onde retira vários objectos, como uma serra e um cassete de rádio que coloca num balde.

Ela então percebe que tem uma perna manchada de sangue, então ela coloca um pedaço de rolo de cozinha que ela então segura junto com uma película de cozinha transparente.

Ele se senta atrás dele para fumar um cigarro enquanto lamenta que não está cuidando de si mesmo, e qualquer dia ele pode estourar em lágrimas.

Ela se apresenta como Carmina, uma mulher de 58 anos, dizendo que fumou seu primeiro cigarro aos sete anos, porque sempre ia à casa do avô para ajudá-lo a encher o frasco com as pontas de cigarro que ele colecionava.

UM MÊS AGO

Carmina dirige a “Venta Calixto” com seu marido, que está passando por um mau momento depois de vários roubos, no último dos quais levaram um lote inteiro de presuntos, não cuidando de nada o seguro, pois a fechadura não foi forçada, então eles consideram que poderia ser uma negligência e até mesmo que não havia presuntos.

Sem dinheiro e carregada de dívidas, ela se pergunta como será capaz de estabelecer a comunhão de Cristina, tendo que cuidar de sua filha Maria, que está desempregada e, em vez de ajudá-la, é mais um fardo.

Maria diz que tem 22 anos e não estudou nada, porque gostou das discotecas e dos meninos tendo uma filha de 4 anos, Marina.

Durante algum tempo trabalhou no Cortefiel, onde diz ter vendido muito e recebido muitas comissões por isso, embora tenha sido despedida por causa de um colega, embora diga que é muito atirada para a frente como a sua mãe.

Ela também trabalhou em discotecas, embora agora ajude sua mãe na venda.

Maria diz que deve ter sido o pai dela que saiu tão bêbado que não fechou a porta da venda e por isso conseguiram roubá-los sem abrir a fechadura, embora a mãe o defenda e lhe diga que seu pai não bebe mais porque ele vai à terapia.

Carmina diz à filha que reza a todos os santos, confiando que eles lhe concedam todos os seus desejos, confiando a Maria que ela está pensando em fazer uma grande encomenda, maior do que nunca, com o atacadista para que ele não desconfie e eles possam vender tudo para o Natal e conseguir dinheiro para pagar suas dívidas, de fato fazendo a encomenda mesmo que não tenham dinheiro para pagar.

Enquanto ela fala, Carmina joga comida numa cabra que tem em sua casa.

Ela diz que gostaria de ser enterrada sentada numa poltrona no topo de um rancho, para que outros possam rir dela.

UMA SEMANA DE AGO

Carmina e Maria vão carregadas de sacos de coisas para a comunhão de Cristina quando vêem que o carro não está onde pensavam ter ficado, discutindo se foi roubado ou rebocado, então decidem ir à delegacia de polícia para denunciá-lo.

Mas enquanto estão no táxi, vêem o carro à sua frente e o seguem, recusando-se a chamar a polícia, vendo então como o carro pára, Carmina sai do táxi e vai até ao carro que começa a andar, esbofeteando os ladrões para fora do carro.

Maria fica para trás para cuidar do carro até o mecânico chegar, e depois de consertá-lo a garota o leva para casa.

Carmina recebe então uma chamada de Maria que teve um acidente com o carro e está assustada, pois não tem licença.

Carmina chega ao local do acidente, onde encontra a filha assustada na frente do Audi em que bateu, defendendo a filha porque o carro vinha na direção oposta. O dono do Audi, no entanto, aponta que sua filha não tem carteira, então Carmina afirma que não era a filha dele, mas ela que estava dirigindo, e que será a palavra dele contra a dela, que também afirma que ela tem uma forte dor no pescoço por causa do acidente, conseguindo assim obter 500 euros dela.

Carmina se pergunta se ela tem a doença que é contrária à anorexia, porque ela sabe que é gorda, apesar de não parecer tão mal assim.

Carmina diz que quem mais usa seu Dyane 6 é Basílio, um homem pobre que muitas vezes dorme nele e lhes dá uma mão na venda.

Ele se lembra que em uma ocasião ele foi levado pela polícia porque não tinha licença e quando o tiraram da masmorra ele o levou a um médico porque estava sangrando porque tinha sido espancado.

Houve um julgamento por causa disso e ele ganhou-o.

DOIS DIAS AGO

Carmina estava no bar pensando em como estabelecer a comunhão de Cristina quando, de repente, entrou o Colecionador Frac, que ia cobrar uma conta devido ao seu primeiro roubo, no qual levaram o tabaco, tendo uma dívida com uma tabacaria.

Ela diz-lhe que talvez dentro de um mês ele possa pagar, embora lhe peça para não dizer nada ao marido porque ele está a sofrer de nervosismo.

Antonio, o marido de Carmina, a quem ela chama de “Tirantes”, afirma ter nascido dentro de um bar e acredita que vai morrer dentro dele, afirmando que deixa Carmina fazer e desfazer.

Ele afirma que não bebe mais, que apenas engole e que, por causa da bebida, se perde de manhã cedo.

Carmina lembra-se que numa ocasião, devido a uma infecção urinária, foi-lhe receitado um antibiótico efervescente que a deixou com um mau corpo.

Ela se lembra da anedota enquanto conversa com sua amiga Ani, que por sua vez lhe diz que é amiga de Mayra Gómez Kemp, e que vai passar alguns dias em sua casa, onde esteve no verão anterior, afirmando que é uma pessoa muito natural, que depois de tomar seu gaspacho, tira uma boa soneca com uma espátula e em suas calcinhas.

Depois diz-lhe que a rainha Sofia também é muito natural e que a convida quando vai a Madrid para a fazer dormir no quarto da Elena e que até lhe deu um xaile de Manila.

Carmina afirma à amiga que se sente muito mal desde que lhe enviaram o antibiótico, que ela mostra à amiga, que percebe que o que ela está tomando é para uma lavagem vaginal, então ela vai ao pronto-socorro, onde diz ao médico e às enfermeiras que além da medicação que ela tomou um rum com Coca Cola e um Orfidal para os nervos, afirmando a recepcionista que ela está vacinada para ir à Índia.

HOJE

Antonio abre o bar com Basílio enquanto Carmina, sem dizer a ninguém, espera pela encomenda de presuntos em um armazém.

O problema é que enquanto ela está fora do bar, chega novamente o colecionador de alfaiates que, apesar do que ele disse a Carmina na sua visita anterior, diz a Antonio o motivo de sua visita e, não sabendo o que fazer, Antonio chama Carmina, que imediatamente aparece na venda e empurra o homem a quem recorda a sua conversa no dia anterior, depois do que pega numa garrafa e a esmaga na cabeça, ameaçando o homem com a gabardina para o denunciar, dizendo que o fez, fazendo-o sair com medo, deixando-a ali com uma ferida na testa, mas sem pagar.

Finalmente, celebra-se a comunhão, à qual chegam muitos convidados, preparando paellas e bolo, prolongando a festa até altas horas da noite, quando começam a dançar e a cantar, momento que Carmina aproveita para puxar um dos bares da janela do venta que tinha previamente serrado, chegando depois a tempo de ver sua filha cantar.

Quando a festa termina, Carmina tenta levar Antonio para dentro de casa, mas ele, muito bêbado, fica num banco com uma cabra que encontrou. Ela decide deixá-lo lá, mas depois de um tempo ela manda Maria procurá-lo, e ele concorda em subir até a casa, mas na condição de que ela deixe a cabra, que ela chama de Mari Fe, subir.

Carmina queixa-se do marido e diz que se alguma vez souber que algo lhe vai acontecer, vai levá-lo consigo, porque não pode deixar esse fardo para os filhos.

Naquela noite Antonio também demorou muito tempo para adormecer, apesar de estar com pressa, e quando finalmente o fez, pegou algumas luvas e chinelos e voltou para o bar.

Depois que ela volta, o telefone toca e alguém a informa de um novo roubo em seu bar, fingindo chorar de consternação, dizendo que ela irá ao bar imediatamente, embora primeiro fume um cigarro em paz, e depois ela sai para o bar onde encontra a polícia com Basílio, que o descobriu, e ela fica muito triste com o que aconteceu.

O agente da companhia de seguros, que desta vez tem provas do roubo, também assiste por causa das barras que foram arrancadas, e Carmina relata a ele o desaparecimento dos presuntos e lombos, assim como o rádio cassete e o relógio do marido.

Ele então se volta para Maria e lhe diz que ela já lhe havia dito que os santos o ajudariam, ao mesmo tempo em que lhe piscava o olho.

Durante os créditos, vemos como Ani bebe um gaspacho com Mayra Gómez Kemp.

Classificação: 2

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad