Death Among the Flowers (1990) por Joel Coen (Miller’s Crossing)

A morte entre as floresMorte entre as floresMiller

‘s Cross (1990) * EUA

Também conhecido como:
– “De viaje a la muerte” (América Espanhola)

Duração: 115 min.

Música: Carter Burwell

Fotografia: Barry Sonnenfeld

Roteiro: Joel Coen, Ethan Coen

Diretor: Joel Coen

Artistas: Gabriel Byrne (Tom Reagan), Marcia Gay Harden (Verna Bernbaum), Albert Finney (Liam O’Bannon / “Leo”), John Turturro (Bernie Bernbaum), Jon Polito (Johnny Caspar), J.E. Freeman (Eddie Dane), Steve Buscemi (Mink Larouie), John McConnell (Bryan), Mike Starr (Frankie), Al Mancini (Tic-Tac), Olek Krupa (Tad), Michael Jeter (Adolph), Richard Woods (Mayor Dale Levander), Thomas Toner (O’Doole), Mario Todisco (“Drop” Johnson)

Johnny Caspar, líder do clã mafioso italiano numa cidade americana do nordeste, queixa-se a Leo O’Bannon, o chefe da máfia da cidade, que tem o prefeito e o chefe da polícia sob suas ordens de que suas apostas não estão produzindo os resultados econômicos esperados por causa de Bernie Bernbaum, que faz os golpes que gera não funcionarem porque ele informa os outros sobre o armamento das brigas e assim perde os lucros que esperava obter.

Leo pergunta-lhe se não há outras pessoas que estão conscientes, apontando que só Mink, que é o braço direito de Dane, é.

Leo lhe diz que não vai matá-lo, porque Bernie também lhe paga por sua proteção, como ele, e o lembra que sempre o cumpriu, porque nunca teve problemas, nem com a polícia nem com o promotor. Caspar se irrita e lhe diz que está farto de sua arrogância antes de ir embora, embora Leo, por sua vez, lhe lembre que é tão grande quanto ele permite que seja.

Tom Reagan, conselheiro de Leo e braço direito, diz-lhe que fez uma má jogada e que o que ele ganha com Bernie não vai compensar o que ele perde ao chatear Caspar.

Leo se oferece para lhe emprestar o dinheiro que deve ao seu corretor de apostas, Lazarre, embora Tom se recuse, dizendo que vai cuidar de suas dívidas, que é para isso que servem as cartas.

Ele é acordado na manhã seguinte por Tad, o garçom da casa de Leo no sofá onde passou a noite, dizendo-lhe que Tad perdeu o chapéu na noite anterior, que foi levado por Verna e Mink.

Ele vai ver a Verna Bernbaum, irmã do Bernie, com quem acaba dormindo.

O próprio Leo o acorda, preocupado porque não consegue encontrar a Verna, e o Tom diz-lhe que não se deve preocupar tanto com a Verna, porque ele só a está usando e deixando-a amá-lo só para proteger o irmão, e fá-lo ver que também não confia nela, porque se o fizesse não estaria à procura dela às 4 da manhã.

Leo explica a ela que está preocupado porque mandou Rug Daniels segui-la naquela tarde, não porque ele a espiou – segundo ele – mas porque estava preocupado com ela por causa do que Caspar lhes disse, e ele não sabe nada sobre Rug ou Verna.

Tom aproveita o momento para avisá-la que Caspar se tornou muito forte, e para levá-lo à tarefa para um cara como Bernie só vai colocá-lo em apuros.

Quando Leo sai, Tom volta ao quarto, com Verna em sua cama, dizendo-lhe que Leo a procura, perguntando-lhe se ela intercedeu com ele por seu irmão, o que Tom nega, dizendo-lhe que, ao contrário, ele lhe disse que ela era uma cadela, fazendo-a atirar um objeto em sua cabeça.

Mais tarde ele pergunta-lhe se ela viu o Rug, o que ela nega.

Ele é descoberto morto pela manhã por um rapaz que lhe arranca o capachinho.

No dia seguinte os jornais noticiam o aparecimento de um ex-político morto num beco por um acerto de contas, embora a notícia que realmente afeta Tom seja a quebra de uma perna do puro-sangue em quem ele tinha apostado 500 dólares.

Ele vai atrás dele ao Shenandoah Club, a casa de Leo, onde ele encontra Mink, que lhe pede para interceder junto com Leo por seu amigo Bernie, não entendendo que Tom pode ser um “amigo” de Bernie e Dane ao mesmo tempo, avisando-o que se ele descobre que não será muito compreensivo com ele.

Quando ele chega ao escritório de Leo, encontra-o reunido com o prefeito e o chefe da polícia, informando Tom que Verna já apareceu, embora ele não lhe tenha dito onde ela estava.

Tom cumprimenta o prefeito, por quem diz ter votado em 6 de maio, explicando-lhe que os fez ir lá porque tem que vingar a morte de Rug fechando as instalações em Caspar.

Tom diz-lhe que seria melhor desistir do Bernie, o que seria um preço muito baixo para evitar conflitos, porque se iniciarem uma guerra de gangues ele tem mais a perder do que Caspar, lembrando-lhe que já não o faz pelo Bernie, mas pelo Rug.

Tom procura Verna por trás dele e a faz ver que uma guerra de gangues vai começar por causa de seu irmão Bernie, e Leo vai estar em apuros por causa dele, e ela lhe garante que fará tudo o que puder por seu irmão, não importa o quão homossexual ele seja, pedindo-lhe para deixar Leo em paz ou contando-lhe sobre a noite anterior, dando-lhe um beijo de despedida e levando um soco por isso.

Quando ele chega em casa é chamado por Lazarre exigindo seu dinheiro, embora ele o lembre que ele não o tem.

Ele vê que o próprio Bernie está sentado à sua frente e diz-lhe que é um pequeno vigarista e não compreende o interesse de Caspar por ele, oferecendo-se para lhe pagar as suas dívidas se ele se aliar a ele, sendo capaz de o informar sobre o próximo combate, mesmo que Caspar já não o informe, Tom compreendendo que Mink lhe diz.

Ele diz-lhe que vai pensar sobre o acordo.

Um dia, enquanto ele falava com o seu homem de apostas, dois rufias do Caspar apareceram e levaram-no até ele.

O Caspar põe à sua frente um calcanhar no valor de 1.500 dólares para que ele possa saldar sua dívida com Lazarre em troca de ele se aliar a ele e entregar para Bernie, ele diz que vai pensar sobre isso, Caspar dizendo a ele que se ele não aceitar ele não vai sair de lá em muito bom estado, Tom brincando sobre isso, Então Caspar sai furioso e o deixa com um de seus bandidos que Tom facilmente se livra batendo nele com uma cadeira, embora o bandido entre então com outro parceiro muito mais duro que o anterior, e eles começam a espancá-lo, o que é interrompido pela irrupção de dezenas de policiais que começaram a cumprir as ordens de Leo.

Na saída ele vê O’Doole, o chefe da polícia que pede a Tom para falar um pouco de bom senso com Leo e entregar Bernie, dizendo a Tom que ele não é ninguém para falar e que se o fizer, ele terá outro chefe nomeado.

Ele vai atrás dela novamente para a casa de Verna, que é violenta e tenta chamar a polícia, embora Tom conheça o agente que está ao telefone.

Ele acusa-a ou à Verna de ter morto o Rug por causa do calibre da arma usada, para impedi-la de contar ao Leo sobre o seu caso com ele. Ele acha que talvez ele tenha tentado extorqui-la e foi por isso que ela acabou com ele.

Verna diz a ele que sabe que ele está agindo assim porque ele tem ciúmes da história dela com Leo e eles acabam dormindo juntos novamente.

Enquanto isso, bandidos entram na casa de Leo, apesar de Tom ter pedido à polícia que enviasse um carro patrulha para protegê-lo.

Tom, deitado na cama a fumar e a ouvir música, observa como o fumo escorrega pelo chão enquanto os bandidos ateiam fogo lá em baixo depois de matar o seu guarda-costas.

Então ele pega sua arma e se esconde debaixo da cama, atirando em um deles quando entram no quarto na perna e depois uma vez no chão na cabeça, aproveitando enquanto o outro se esconde para deslizar do telhado e acabar com o outro bandido com a metralhadora do outro bandido de baixo.

Eles começam a atirar em você a partir de um carro, que ele persegue e atira em você até bater e explodir.

Quando Tom vai vê-lo na manhã seguinte, ele vê que Leo não consegue localizar o prefeito ou O’Doole, e que na noite anterior mostrou a todos que ele é vulnerável e que deve ser levado a sério.

Ele insiste em desistir do Bernie, embora diga que não o fará, pois pretende pedir a Verna em casamento.

Tom lhe diz que não foi Caspar quem matou Rug, mas a própria Verna, porque tiraram uma bala da arma de uma mulher e o mataram por algo que Rug sabia e não queria que Leo soubesse, dando-lhe a entender que ela o estava traindo com outra pessoa, para finalmente confessar que ela estava com ele naquela noite.

Quando ele sai do escritório do Leo, que estava meditando, vai atrás dele e o atinge, fazendo-o rolar pelas escadas do seu clube em frente a todos os sócios do seu clube, sem se importar com o escândalo, dizendo-lhe que nunca mais quer vê-lo.

Tom chama um dos homens de Caspar atrás dele, Frankie, para lhe dizer que quer ver o patrão dele.

Logo depois, Verna chega ao seu apartamento dizendo-lhe que Leo lhe disse que tinham terminado, confessando que ele lhe falou dele, perguntando-lhe se não teria sido mais fácil dizer-lhe que a amava, acabando de novo na cama.

Tom assegura-lhe que acabou com o Leo, sugerindo que agora que ele não os amarra lá, eles podem sair juntos.

Tom pergunta-lhe sobre Bernie, dizendo-lhe que agora Leo não o protegerá mais e que ele deve ser avisado, ela confessa que ele está no Hotel Royale.

Tom vai ver Caspar, que ele encontra com o prefeito e O’Doole falando amigavelmente.

Uma vez sozinho, Caspar diz-lhe que sabia que ia acabar com Leo, e que pode ser-lhe útil, pedindo-lhe para se livrar de Leo e perguntando-lhe sobre os seus planos para ele, o que Dane, o braço direito de Caspar, o faz desconfiar, assegurando-lhe que mesmo que goste dele, nunca se vai dar bem com Tom.

Caspar pede que ele prove sua lealdade colocando algo útil na mesa, dizendo-lhes onde Bernie está escondido, mas acrescentando que eles provavelmente o encontrarão com Mink, pois eles são mais do que amigos, algo que deixa Dane indignado, embora Caspar lhe peça para trazer Mink para descobrir.

Enquanto isso, ele envia seus bandidos Frankie e Tic-Tac para o Royale, e Tom deve ir com eles. Eles tiram Bernie do quarto dele e o colocam no carro que Tom dirige para Miller’s Crossing, vendo-o sair do carro uma vez na floresta, depois pedem a Tom para levá-lo para o meio da floresta e acabar com ele porque Caspar quer ter certeza de que ele está realmente comprometido com ele.

Ele vai para a floresta enquanto Bernie lhe implora para não acabar com ele, dizendo-lhe que sabe que não é um valentão, e que nenhum deles jamais matou ninguém, implorando-lhe em lágrimas que o perdoe.

E quando está de joelhos a implorar-lhe para não lhe fazer nada, Tom atira, embora sem apontar para ele, pedindo-lhe para desaparecer e ir para um lugar onde ninguém o conheça.

Depois de atirar novamente, ele o vê fugindo antes de voltar para os dois bandidos.

À noite ela chama Mink para lhe contar a notícia da morte de Bernie e para lhe dizer que Caspar está ciente das informações sobre os tongos e deve desaparecer por um tempo e acusar Dane de estar por trás do bufo para que Caspar não seja muito duro com ele.

Depois de falar com ele, Terry, um dos capangas do Leo, manda-lhe uma mensagem que, se o trair, acabará com ele.

Quando se encontra novamente com Caspar, admite que Mink estava de facto a traí-lo, pois desapareceu após saber da morte de Bernie.

Ele pergunta-lhe como sabe que Mink partiu, respondendo a Caspar que porque Dane não o consegue encontrar, dizendo ao Tom que Bernie antes de morrer acusou Mink e Dane de serem os que lhe venderam a informação sobre os tongos.

Caspar diz-lhe então que Dane era a favor de matá-lo depois de terminar com Bernie, mas que ele não achou que fosse honesto, embora não acredite nele, porque Dane goza de toda a sua confiança e que nunca o enganaria apesar de estar ciente de que Mink é o filho de Dane, apesar do que lhe pede para encontrar Mink para interrogá-lo.

Tom pede a Verna para sair, pois tudo logo se tornará muito feio, e ela lhe diz que está preocupada em não encontrar Bernie, e Tom lhe diz que ele deixou a cidade, e ela lhe agradece pela ajuda dele.

Dane, que os viu juntos, vai até a casa da menina e lhe pergunta o que Tom está fazendo, assegurando-lhe que não entende que ela abandonou Leo pelo homem que matou seu irmão.

Enquanto ele a interroga, aparecem dois homens que Dane mata facilmente, perguntando a um deles antes de matá-lo onde está seu chefe, e informando-o que ele planeja encontrar-se com seu bando no dia seguinte no Whiskey Nick’s.

Tom encontra Bernie novamente em sua casa, assegurando-lhe que ele não queria sair apesar do que lhe prometeu, porque pensava que se saísse não tinha nada, e ao ficar o tem, porque se alguém descobre que ele está vivo, vai acabar com ele.

Ele se envergonha de ter feito figura de tolo na floresta chorando como uma puta, e que mesmo não tendo atirado nele, foi ele quem o entregou, e por tudo o que ele espera que ele sofra e transpire um pouco.

Ele finalmente pede que ela mate Caspar por ele, assegurando-lhe que se ela não o matar em dois dias, ele sairá.

Quando ele sai, Tom sai pela janela e tenta pegá-lo, mas ele escorrega e não consegue, Bernie assegura a ele que mesmo que tivesse, nada teria acontecido, porque ele teria chorado um pouco e o teria perdoado.

Apesar do que Leo lhe disse, Tom volta ao seu clube, perguntando a Tad se alguém fez alguma aposta forte nos últimos dias no próximo combate, dando-lhe o nome de Drop Johnson pouco antes de a polícia entrar no local.

Pouco tempo depois ele é assaltado por Dane e Tic-Tac, o primeiro que se acha muito esperto fazendo Caspar acreditar que está do lado deles, embora saiba que é incapaz de atirar em alguém e que seus colegas não verificaram que ele matou Bernie, e para verificar se eu o fiz ele decide levá-lo para o bosque garantindo-lhe que se eles não encontrarem um corpo decomposto no bosque eles vão deixar um novo.

Uma vez na floresta e enquanto caminham para o local da suposta execução, Tom começa a sentir-se mal ao ponto de começar a vomitar, e quando Dane vai terminar com ele Tic-Tac encontra um cadáver em muito mau estado, com a cabeça destruída e meio comida pelos pássaros.

Tom vai visitar o Drop e pergunta-lhe porque apostou tanto na luta do dia seguinte, perguntando-lhe se aposta em si próprio ou num amigo, e depois diz-lhe para dizer ao Bernie que o devia contactar.

A polícia esmaga uma das instalações do Leo, aniquilando os seus homens depois de uma luta difícil.

Tom vai ao gabinete do prefeito, onde encontra Caspar, que lhe pede para nomear dois de seus primos como chefes do gabinete de aconselhamento, mesmo que eles nem sequer conheçam a língua.

Tom o informa que sabe que há uma luta armada e Dane está interessado em acreditar que Bernie ainda está vivo para que ele possa acusá-lo da traição e ao mesmo tempo terminar com o próprio Tom, fazendo-o ver que talvez Dane queira tomar o seu lugar.

Quando Bernie liga para Tom depois da mensagem de Drop, diz-lhe que sabe que o morto na floresta era Mink, e Bernie diz-lhe que quando o viu novamente o encontrou muito nervoso e teve de acabar com ele.

Tom pergunta-lhe se Mink tinha uma pistola de calibre 22, o que Bernie confirma, entendendo que este era o assassino de Rug.

Depois disso ele lhe diz que pensou no seu acordo e que não está interessado nele, porque agora não tem nada contra ele, pedindo-lhe 2.000 dólares que ele lhe pede para levar para casa no dia seguinte às 4 da manhã ou ele vai dizer ao Caspar que ele está vivo.

Quando ele sai de casa, os homens de Lazarre o procuram e lhe pedem seu dinheiro. Dão-lhe uma surra tremenda quando vêem que ele não pode pagar, dizendo-lhe que em sua última aposta o cavalo chegou em último lugar e que apesar de tudo o que seu chefe gosta dele e lhes pede para não quebrar nada.

Ele volta depois disso para ver Caspar que o informa que falou com Mink que combinou ir à sua casa naquela noite às 4 da manhã e está pronto para contar tudo em troca de $2.000.

Ele também lhes diz que o Dane irá atrás deles naquela noite.

Então o próprio Dane aparece, e tem lá o Dane com sinais óbvios de o ter torturado.

Dane diz-lhe que o seguiu toda a tarde e quando o viu sair de casa do Drop e o interrogou.

Ele lhe diz que o gorila não sabia quem era o morto na floresta, mas sabe que era Mink e o acusa de matá-lo, espancando-o para forçá-lo a confessá-lo, embora enquanto ele o está afogando com suas próprias mãos Caspar o salve batendo no seu homem de confiança com a pá da chaminé e depois atirando diretamente no cérebro convencido por Tom de que ele é um traidor.

Às 3:30 da manhã, Tom sai de um bar sendo abordado por Verna que lhe pergunta se Bernie está morto, dizendo-lhe que ele ainda não pode dizer-lhe nada, vendo como ela aponta uma arma para ele, reconhecendo que ela desistiu de Bernie porque era a única maneira que ela tinha de ajudar Leo, dizendo-lhe que ela achava que ele não se importava mais com Leo, ao que ele responde que o que ele disse foi que ele e Leo tinham acabado.

Ele lhe diz depois que Bernie ainda está vivo enquanto ela aponta a arma para ele, que ele não consegue atirar, dizendo-lhe “não é fácil, Verna”, vendo-a ir embora.

Depois vai até sua casa, vendo Caspar entrar esperando encontrar Mink, ouvindo vários tiros ao mesmo tempo.

Quando ele entra, encontra Caspar morto, e Bernie rindo quando percebe que Tom o enganou para fazer seu trabalho sujo, porque ele tinha certeza que chegaria antes da hora e tentaria matá-lo.

Com Caspar morto, diz ela, nenhum deles precisa mais de medo se disserem que Dane o matou, do qual também se livrarão dessa forma, então ela pede que ele lhe dê a arma para que a polícia não o encontre com a arma que matou Mink e Caspar.

Com ela em sua posse ele pega a pistola e o dinheiro de Caspar, e agora, tendo Bernie desarmado, diz-lhe que Dane não pode ser acusado porque está morto, e ele está morto com sua pistola – a que ele tirou de Caspar – com a qual aponta para Bernie, que lhe diz que não vai conseguir nada da sua morte, e implora por sua vida como se estivesse na floresta, mas Tom atira na cabeça dele, deixando atrás de si novamente a pistola com a qual ele matou Caspar em sua mão.

Ele chama os homens de Lazarre atrás dele para dizer-lhes que tem o seu dinheiro e que quer apostar na luta do dia seguinte, que ele sabe que Caspar armou.

No dia seguinte ele vai ver Leo, embora não possa vê-lo porque está se reunindo com o prefeito e O’Doole, embora ele diga que poderá vê-lo no dia seguinte no funeral.

No dia seguinte ele vai de facto ao cemitério, tendo assistido ao funeral de Bernie apenas com Verna e Leo, o primeiro a sair zangado com a sua visão.

Leo diz-lhe que ele vai casar com Verna e que foi ela quem lhe pediu em casamento, agradecendo-lhe pelo que ele fez, embora ele a censure por não lhe ter contado e o tenha feito acreditar que ela tinha mudado de lado.

Ele acha que ela provocou a briga com ele para fazê-lo parecer bem com Caspar e pede que ele volte para ele e diz que ele a perdoa por Verna, embora ele recuse o perdão dela e se despeça recusando-se a voltar para ele.

Classificação: 4

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad