King Kong (1933) por Merian C. Cooper e Ernest B. Schoedsack

King KongKing KongKing

Kong (1933) * EUA

Duração: 100 Min.

Música: Max Steiner

Fotografia: Eddie Linde, Vernon L. Walker, J.O. Taylor

Roteiro: James Creelman, Ruth Rose (Idéia: Edgar Wallace, Merian C. Cooper)

Endereço: Ernest B. Schoedsack e Merian C. Cooper

Artistas: Fay Wray (Ann Darrow), Robert Armstrong (Carl Denham), Bruce Cabot (John Driscoll), Frank Reicher (Capitão Englehorn), Sam Hardy (Charles Weston), Noble Johnson (Chefe dos Nativos), Steve Clemente (Wizard), James Flavin (Briggs) Victor Wong (Charlie).

Ele aponta para um antigo provérbio árabe que o profeta disse: “A besta olhou para o rosto do belo”. E a mão dele não matou. E a partir desse dia, foi como se tivesse morrido.

Um homem chega ao porto de Hoboken em Nova Jersey e pergunta a um vigia sobre o navio no filme, o Venture, e o vigia que está lá responde, assegurando-lhe que tem uma reputação terrível porque Carl Denham, o homem que o dirige, é um maluco porque não tem medo de nada e, além disso, três vezes mais pessoas vão lá do que seria necessário, assegurando-lhe que não terão espaço para dormir.

Naquele momento o Primeiro Oficial, Jack Driscoll, aparece e pergunta-lhe se ele é o Weston, o agente teatral. Ele confirma isso, convidando-o e dizendo-lhe que espera que ele lhe traga boas notícias, pois Denham está com raiva.

Nessa altura Denham fala com o capitão Englehorn, que lhe diz que devem apressar-se, porque a companhia de seguros descobriu que têm explosivos a bordo e o xerife pode vir num dia ou dois, e se forem a julgamento vai demorar meses, porque têm explosivos suficientes para explodir o porto, carregando bombas de gás com o poder de abater um elefante.

Denham quer sair antes das monções, porque entrar na selva na época das chuvas seria um desastre, pois eles perderiam tempo e dinheiro, e ele quer fazer o seu filme.

Quando Weston chega, Denham pergunta-lhe sobre a rapariga, dizendo-lhe que não a tem, indicando-lhe que sempre que tenta contratar uma, é impedido, tendo sido rejeitado por todos os agentes excepto ele, apesar de ser um tipo decente, Weston responde que sim, mas que é tão reservado que nem o capitão sabe para onde vão e não pode embarcar em nenhuma rapariga sem saber o que o espera e também sozinho e rodeado de homens de todos os tipos.

Denham diz-lhe que o capitão já fez duas viagens com ele e que nada lhes aconteceu.

Eles lhe perguntam por que ele quer uma atriz agora, se no resto de seus filmes não havia nenhuma, dizendo que o público exige isso e quer dar o que eles pedem, e ele precisa tê-la antes do nascer do sol, quando eles vão zarpar, decidindo ele mesmo sair para procurá-la.

Em um táxi ele vai ao Lar das Mulheres, uma instituição de caridade onde elas alimentam os necessitados, para quem ele olha, embora não goste delas.

Ele entra numa frutaria e uma mulher chega e está prestes a levar uma maçã, então o dono da loja sai e acusa-a de ser uma ladra, apontando que ela não levou nada, e Denham decide dar um dólar ao homem para que ele não chame a polícia, tomando conta da mulher, que está prestes a desmaiar de fome.

Ele leva-a num táxi para um restaurante onde a convida para jantar.

Ele lhe pergunta como ela chegou a isso, dizendo que, como tantos outros, embora ele lhe diga não tanto com a sua beleza, apontando que se ela tivesse roupas mais aparentes ela poderia até mesmo pedir um emprego, mas ela não tem mais família do que um tio que não sabe onde ele está.

Denham pergunta se ela já atuou, dizendo-lhe que já trabalhou como figurante em Log Island até que os estúdios fecharam, apresentando-se como Ann Darrow.

Ele lhe explica que tem um emprego para ela, oferecendo-se para comprar-lhe algumas roupas, perguntando-lhe o que é, ao que ela responde que se trata de fama, e que eles terão que partir numa longa viagem de barco no dia seguinte, às 6 horas.

Quando ele a vê relutante, diz-lhe que ela não deve interpretá-lo mal, que ele lhe oferece o seu verdadeiro trabalho.

Ela se apresenta então, e quando diz que é Carl Denham ela diz que sabe que é ele quem faz os filmes da selva, dizendo-lhe que quer que ele seja o protagonista do seu próximo filme.

Ela aceita a oferta, e eles partem, com efeito, ao amanhecer do dia seguinte.

No alto mar, Ann sai de sua cabine, recebendo um golpe involuntário da Driscoll, a quem ela confessa que é a primeira vez que ela está em um barco, dizendo que as mulheres estão sempre no caminho e que ela deve ficar lá embaixo, e depois pedir desculpas pelo golpe.

Mas ela precisa sair e falar com Charles, o cozinheiro chinês, que diz estar farto de descascar batatas, que lhe diz que o mar é lindo, mas só se você puder escolher a hora.

Depois chega o Jack, agora um pouco mais simpático, a quem ela diz que vai fazer alguns ensaios com a Denham naquela manhã.

Jack lhe diz que estar lá como mulher é um problema, embora ela pense que está sendo discreta e não causou nenhum, alegando que nunca foi tão feliz quanto naquela viagem, pois todos são muito gentis com ela, incluindo o capitão que é encantador e a mascote do navio, Iggy, um macaquinho que ela acaricia, alegando Denham quando os vêem juntos que eles são a Bela e a Besta.

Enquanto ela vai mudar Jack pergunta a Denham quando ele lhes dirá para onde vão, porque ele teme por Ann, dizendo a Denham que a menina amoleceu, algo que ele garante que não vai acontecer, ao que Denham lhe diz que ele é um homem duro, mas se ele for ferido pelas flechas do amor não poderá fazer nada, sendo que o tema do seu filme, o de uma besta que amolece diante da beleza e que o faz perder-se.

São então avisados que se chega ao ponto que indicou o capitão ao Oeste de Sumatra, só então Denham explica seu destino, em direção ao Sudoeste, afirmando o capitão ao ouvi-lo que não há nada ali, dizendo-lhes que estão perto de uma ilha que os mostra em um mapa, mas que não existe em nenhum outro, como foi mapeado pelo capitão de um navio norueguês quando um barco cheio de indígenas daquela ilha foi arrastado para o mar e pegou o único sobrevivente, que descreveu a ilha e sua localização para ele antes de morrer, e o capitão vendeu-lhe o mapa em Singapura.

Ele mostra-lhes o mapa da ilha, que pode ser alcançado atravessando alguns recifes com vista para uma península arenosa onde devem atracar, já que o resto da ilha é constituída por falésias, estando a península separada do resto da ilha por uma gigantesca parede antiga que os nativos estão constantemente a reparar porque do outro lado da parede há algo que os assusta.

Ele perguntou-lhes se tinham ouvido falar de Kong, dizendo que sim, como uma espécie de deus ou espírito, apontando a Denham que o que quer que seja não é homem ou animal, mas algo monstruoso e poderoso que sobreviveu através dos séculos semeando um medo mortal entre os habitantes da ilha, pensando que por trás de cada lenda há alguma verdade e ele acredita que naquela ilha deve haver algo que nenhum homem branco jamais viu e que, se estiver lá, ele o filmará, carregando no caso de as bombas de gás serem negadas.

Ann aparece com seu vestido mais elegante, afirmando que teme não ser fotogênica, e Denham lhe assegura que se ele não tivesse certeza de que ela era, ele não a teria levado ao fim do mundo.

Denham grava-a, dizendo-lhe que ele próprio cuida sempre da câmara desde uma viagem a África quando estavam a filmar um ataque de rinoceronte, a câmara ficou assustada.

Ele a guia, pedindo-lhe que olhe devagar e finja ver algo terrível, mas ela não pode desviar o olhar, embora deva então tapar os olhos e gritar como se estivesse vendo algo terrível.

No meio de um nevoeiro infernal não vêem nada, por isso duvidam que a ilha esteja próxima, embora observem que a profundidade é cada vez menor, escutando as ondas quebrando, embora então percebam que não são ondas, mas tambores, observando quando o nevoeiro se levanta que chegaram ao lugar que procuravam, uma ilha que tem uma montanha em forma de crânio, embora não vejam nenhum vestígio de vida.

Eles ouvem os tambores novamente, e Denham diz que eles devem ir a terra, e o capitão lhe diz para ir sozinho com uma dúzia de homens, pedindo a Denham para ir ele mesmo se ele pode entender a língua dos nativos, e pedindo a Ann para ir também, apesar das objeções de Driscoll.

Carregados com rifles, bombas e a equipe de filmagem preparam um barco com o qual se aproximam da península arenosa, onde pouco depois desembarcam, vendo de lá a enorme parede e o portão, vendo também na praia vários barcos.

Aproximam-se sem ver ninguém, perguntando-se quem construiria a parede e com que propósito, quando ouvem nos cantos à distância dos nativos que repetem “Kong, Kong”, apontando ao capitão que a língua deles é semelhante à língua das Ilhas Nias, vendo os nativos se aproximando executando um de seus ritos em frente ao portão, e enquanto alguns tocam tambores, outros, disfarçados de macacos, dançam ao redor de uma jovem seminua coberta de colares de flores, com o resto da tribo pintada e decorada com penas.

Denham pensa que deveria filmar tudo sem que eles percebessem, embora quando ele coloca a câmera eles sejam descobertos, pedindo ao chefe da aldeia para parar, pedindo a Denham para sair e vê-los para que não se assustem, vendo como o chefe vai na direção deles, dizendo algo, assustando alguns deles, embora Denham tente acalmá-los, pedindo ao capitão para dizer-lhes que são amigos, apesar do que o chefe tribal lhes pede para sair, perguntando ao capitão o que acontece, dizendo-lhes que a garota é a namorada de Kong.

O mago diz que a cerimónia já não é válida, tendo sido vista pelos brancos e eles parecem zangados, embora lhes seja dito que têm uma mulher de ouro – nunca viram uma loira – que seria um bom presente para Kong e desejam comprá-la oferecendo seis das suas mulheres em troca de Ann.

Eles respondem que não pode ser, apontando Driscoll que devem levá-la para o barco, embora deixando claro que querem ser amigos, após o que começam a ir para o barco, embora fingindo não ter medo.

De volta ao barco, Jack encontra Ann no convés, dizendo-lhe que não consegue dormir e reconhecendo que tinha medo por ela, pensando que Denham é louca, pois é capaz de tudo para rolar, até mesmo colocá-la em perigo, apontando que Ann lhe deve tanto que ele não se importa de correr riscos e fazer o que ele pede.

Jack confessa que tem medo por ela, confessando ter-se apaixonado por ela apesar de alguns dias antes ele ter dito que odiava as mulheres.

Eles acabam se beijando, sendo interrompidos por um chamado do capitão que pede a Driscoll para subir à ponte, deixando a garota sozinha, que diz que ela vai esperar por ele.

Eles não perceberam que, refugiando-se na noite, os nativos se aproximaram com seus barcos para o navio, raptando a garota sem que ninguém os visse.

Da ponte eles observam como os nativos acendem tochas.

Jack desce para falar com Ann, que não consegue mais encontrar onde a deixou, então ele vai procurá-la em sua cabine, vendo que ela não está lá, nem em nenhum lugar, encontrando Charlie, o cozinheiro, uma pulseira de flores, então ele levanta o alarme, mostrando a pulseira para o capitão, que entende que alguns nativos estão no barco, então todos eles começam a procurar Ann, que não encontram em lugar nenhum, então decidem pegar suas armas e ir para os barcos.

Na ilha, os nativos realizam novamente o rito que viram ser realizado no dia anterior, embora agora seja Ann quem toma o lugar do nativo.

Eles começam a abrir a grande porta, levando Ann para dentro, a quem amarram a algumas colunas no topo de algumas escadas para que ela não possa escapar, para o desespero da menina, que vê os nativos saindo e fechando a porta.

Então os nativos sobem para o topo da parede, de onde observam a menina pela luz de suas tochas, com o chefe logo acima da porta parecendo convocar Kong, e dois nativos batendo um gongo gigantesco atrás dele.

Há então alguns ruídos estrondosos, notando que alguém está se aproximando, e Ann está assustada por ser um gorila gigante, então ela grita como fingiu fazer antes, embora agora ela esteja realmente aterrorizada e não possa fazer nada.

O grande gorila a observa com curiosidade enquanto ela grita, e depois a toma em suas mãos e a carrega, em meio aos aplausos dos nativos.

Então os marinheiros chegam, vendo como Kong entra na floresta com a mulher em suas mãos, então eles abrem a porta novamente, uma dúzia de homens entram na floresta com suas armas para resgatar a garota, enquanto os outros continuam protegendo a porta.

Com a escuridão é difícil para eles seguir a trilha, embora os rastros profundos do macaco os ajudem a continuar.

Eles se deparam com um animal enorme, semelhante a um estegossauro, que ao vê-los se atira sobre eles, tendo que atirar nele e atirar uma de suas bombas, deixando-o fora de controle.

Chegam a um pântano, construindo uma jangada de madeira para o atravessar.

Observam então como a cabeça do que parece ser um brontossauro emerge da água, para a qual disparam e que, com raiva, derruba a jangada, tendo de nadar até à margem perseguida pelo animal, que apanha vários homens com a boca e os cospe para fora.

Quando chegam à costa, correm por um terreno pantanoso sendo perseguidos pelo monstro, que apanha um deles que foi deixado para trás e tenta escapar subindo a uma árvore.

Eles vêem Kong cruzando um abismo num tronco e o perseguem, mas o gorila, depois de deixar Ann numa árvore, dá meia volta e vira o tronco no qual eles estavam cruzando um desfiladeiro, terminando a maior parte da expedição.

Driscoll, que conseguiu atravessar, se esconde em uma pequena caverna, tentando acabar com ele também. Kong se defende com sua faca, aproveitando o fato de que Kong não consegue vê-lo e tenta encontrá-lo palpitando, finalmente abandonando a busca devido a um grito de Ann que chama sua atenção, observando o gorila enquanto um enorme dinossauro se aproxima da garota, A menina testemunha uma luta muito dura entre os dois monstros que vêm para atirar a árvore onde ela estava, e que cai sobre suas pernas impedindo-a de fugir, vendo de lá a luta que termina com o triunfo do King Kong, que bate em seu peito como sinal de triunfo, depois do qual ela pega Ann novamente, que ela observa com prazer apesar de seus gritos.

Driscoll vê Denham do outro lado do desfiladeiro, que ele não pode atravessar agora, pedindo a Jack que volte para pedir ajuda e pegar mais bombas enquanto ele segue o rastro do gorila, assegurando-lhe que ele os fará ver onde estão.

Denham volta e se encontra com o capitão e os outros marinheiros a quem ele conta o que aconteceu e como Kong é gigantesco, apontando que Driscoll lhes enviará sinais de onde ele está para que eles possam ir e resgatar Ann, embora o capitão se pergunte se as bombas serão suficientes para deter tal monstro, Denham lhes assegura que eles são.

O capitão diz-lhe que os nativos também tentaram atacá-los, mas fizeram um par de descargas no ar e fugiram.

Denham ordena para sair ao amanhecer quer haja ou não algum aviso da Driscoll.

King Kong, entretanto, entra em seu domínio, perseguido por ele, que o vê entrar em uma enorme caverna, levando Ann com ele, que ele coloca em uma caverna menor, observando aterrorizado quando uma enorme cobra se aproxima dele, a qual Kong deve lutar novamente, e com o qual, apesar das dificuldades, já que está torcido ao pescoço, ela consegue terminar, batendo nela como se fosse um chicote, depois do qual Ann é levada para um lugar mais seguro para o qual ela sobe e do qual ela domina a ilha, mostrando seu poder batendo no peito novamente.

Ann, exausta e assustada, perde a consciência, segurando Kong entre as mãos como se fosse uma boneca e tirando parte de sua roupa e brincando com ela, cheirando seus dedos depois de acariciá-la.

Driscoll atira uma pedra e Kong tenta ver o que é, mas a atenção do gorila é atraída pelos gritos de Ann, que é agarrada por um Pteranodon, que Kong agarra e acaba.

Enquanto o faz, Driscoll sai do esconderijo e pega Ann, com quem começa a descer a parede do penhasco usando uma videira.

Descoberto por Kong, ele agarra a videira e começa a puxá-la para cima novamente, embora antes de serem apanhados acabem por cair na água, conseguindo assim escapar do gorila.

Denham e seus homens, que estavam esperando do lado de fora da porta pelo aviso de Driscoll, são informados por seus homens que Driscoll está chegando e ele está carregando Ann em seus braços.

Eles abrem a porta e, seguros como estão, propõem voltar ao navio, embora Denham pergunte o que vai acontecer com Kong, já que foram lá para rodar um filme e encontraram algo mais valioso do que qualquer filme, esperando capturá-lo vivo, usando as bombas de gás, Algo com que nem Driscoll nem o capitão concordam, este último pensando que nem mesmo um exército poderia carregá-lo, embora Denham sugira que eles poderiam, se ele descesse das montanhas sozinho, pois eles têm algo que ele quer, ele aponta, olhando para Ann, embora Driscoll afirme categoricamente que é algo que ele nunca mais terá.

Logo depois, do topo da parede, os batedores avisam da chegada de Kong, então eles fecham a porta novamente, avisando os nativos com o gongo.

Kong aproxima-se mesmo da porta que bate com força, tentando tanto marinheiros como nativos para evitar a sua abertura empurrando-a, enquanto outros disparam contra o gigante, sem que isso o dissuada do seu objectivo, conseguindo finalmente, e apesar de tudo, abrir o portão, fazendo com que todos fujam com medo.

Kong avança, destruindo a aldeia, enquanto Denham pede que as bombas sejam carregadas.

Alguns nativos confrontam o gorila atirando-lhe lanças e flechas de uma plataforma, mas Kong come uma e depois destrói a plataforma com vários socos, matando mais alguns nativos com os seus dentes ou esmagando-os com os seus pés.

Eles correm em direção aos barcos, de onde Denham joga uma bomba de gás que o atordoa, caindo no chão sem qualquer força devido ao efeito da bomba.

Com ele dormindo, Denham pede correntes e para construir uma jangada para levá-lo ao barco, pois está convencido de que o mundo inteiro vai pagar para vê-lo, assegurando que em poucos meses ele vai ler nas luzes da Broadway: “King Kong a oitava maravilha do mundo”, como acontece, colocando por baixo: “O monstro gigante de Carl Denham”, aglomerando as pessoas para ver o show, apesar de os ingressos custarem 20 dólares.

Nos bastidores, a luxuosamente vestida Ann e Jack se preparam para o espetáculo, o que ela aponta a deixa inquieta, pois ela não acha que se atreve a olhar o animal nos olhos, e que concorda em ir à insistência de Denham, que lhe disse que sua presença era importante, perguntando-se se eles vão ganhar muito, Jack apontando que pelo menos o suficiente para poder pagar a roupa que estão vestindo, assegurando que ele nunca tinha usado tal terno.

Denham vai vê-los, também muito elegante que lhes diz que têm 10 mil dólares na bilheteira, e isso é apenas o começo, porque eles vão mostrá-los todas as noites.

Depois aparecem os repórteres, apresentando Denham a Ann Darrow e Jack Driscoll.

Ela diz-lhes que Driscoll a salvou, porque os marinheiros que estavam com ele morreram, embora tenha sido mais tarde Denham que reuniu coragem suficiente, enquanto todos correram para lhe atirar as bombas de gás.

Denham, por outro lado, conta que o gigante seguiu Ann até à aldeia, indicando que era a história da beleza e da besta.

Ele diz a Ann depois que ela não deve ter medo, porque desde a última vez que ele a viu, Kong tornou-se manso.

Ele sobe ao palco para fazer a apresentação do colosso, e quando as cortinas são abertas, o monstro aparece diante dos espectadores, elevado a uma plataforma e amarrado com fortes correntes, deixando-os sem palavras.

Ele faz Ann, como a bela, e seu salvador, Jack, entrar, pedindo aos fotojornalistas que se aproximem para fotografar o monstro, com Ann na frente de Kong.

Quando os flashes começam a disparar, Kong começa a mover-se inquietos, assegurando a Denham que eles não devem se assustar, pois ele está preso por correntes especiais de aço cromado, dizendo aos jornalistas e ao público que Ann e Jack vão se casar no dia seguinte.

Mas Kong começa a mover-se inquieto, e Denham deve pedir que as imagens parem, porque o monstro pensa que estão a atacar a sua beleza.

Mas sem prestar atenção a ele, os jornalistas continuam a piscar até que Kong consegue soltar seu braço direito, tirando as outras correntes, enquanto o público foge aterrorizado, fazendo uma grande comoção na rua com pessoas correndo fora de controle, causando algum tipo de acidente de trânsito enquanto um policial pede reforços.

Jack, que conseguiu escapar com Ann, entra num hotel próximo à procura de abrigo.

Mas Kong, que viu para onde iam, caminha até lá, terminando na estrada com alguns cidadãos, começando a subir pela frente do prédio depois deles.

Ao fazê-lo, ele vê outra mulher dormindo em sua cama, e a pega, embora depois de observar que não é Ann, ele a deixe cair da altura, seguindo sua escalada.

Jack e Ann, enquanto isso, entram numa sala e ele tenta acalmá-la dizendo-lhe que estão a salvo, embora ela ainda esteja nervosa, apontando que parecia estar na ilha novamente, e ele diz-lhe que eles vão abatê-la em breve, sem se aperceber que, naquele momento, os olhos de Kong estão a observá-los pela janela.

Fora do prédio, os curiosos e a polícia estão lotados, quando de repente o casal se assusta com a enorme mão de Kong quebrando uma das janelas.

Jack bate nela com uma cadeira tentando defender Ann, mas o macaco bate nela e a deixa inconsciente por alguns segundos, que o gorila usa para arrastar a cama de Ann até a janela e levá-la para continuar sua escalada até o topo do prédio.

Jack sai e avisa sobre o que aconteceu, correndo até o telhado, embora até lá Kong tenha voltado para a rua, ficando assustado quando vê um trem cruzando um viaduto que o lembra de alguns dos animais que o atacaram em sua ilha. Isso o faz destruir o viaduto causando um acidente do próximo comboio, deixando muitas pessoas feridas, e algumas delas morrendo quando Kong esmaga um dos vagões.

Depois disso o macaco foge, informando a polícia que ele está indo para o Empire State Building, o ponto mais alto da cidade, e logo depois ele começa a subir, a polícia não acredita que eles podem fazer alguma coisa contra ele, embora Jack sugira que eles usem aviões, dos quais eles podem atacá-lo sem prejudicar Ann.

Logo depois, quatro biplanos deixam o aeródromo, enquanto a figura imponente do gorila está prestes a chegar ao topo do enorme edifício.

Depois de colocar Ann em uma prateleira, ele sobe até o topo, onde atinge seu peito feliz e desafiador, momento que os aviões consideram apropriado para atacá-lo.

Eles começam a voar à sua volta e disparam contra ela com as metralhadoras, mas ela consegue apanhar um dos aviões, como um pássaro, e abatê-lo.

Apesar da sua força, os tiros repetidos o enfraquecem e ele começa a sangrar da garganta e do peito.

Ele então pega Ann novamente entre os dedos e a posa amorosamente novamente, enquanto ele começa a desmaiar enquanto olha para ela.

Depois de outro ataque, ele começa a cambalear, até que finalmente cai.

Chega mesmo aí, Jack no topo da torre, que pega na Ann e a abraça.

Lá em baixo, as pessoas estão a rodopiar à volta do enorme macaco morto.

Então Denham chega ao cordão policial, que eles deixam passar, pois sabem que foi ele quem capturou o animal, o policial dizendo-lhe que conseguiram abatê-lo graças aos aviões, ao que Denham responde que não foram os aviões, que foi a beleza que matou a besta.

Classificação: 4

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad