“Liberdade, Liberdade”, o estranho caso da novela que é boa mas ninguém nem tchuns – Coisas De TV

Se você acompanha o Coisas De TV, você sabe que a gente teve um bode imenso com a estreia da novela das onze da Globo, “Liberdade, Liberdade”. Segundo nossa bolinha de cristal quebrada, a novela tinha tudo pra ser um desastre: trama histórica, Andrea Horta no papel principal, longas explanações sobre a inconfidência mineira, núcleo o Caio Blat gay enrustido entre outras questões. Acontece que estávamos errados sobre esse nosso bode e não temos problema nenhum em dizer que, no fim das contas, a novela nem era tão ruim assim. Pelo contrário, a novela é até bem boa.

Confessamos que aqui na redação a gente não assiste sempre até por conta do horário. Como essas novelas das onze não tem um horário fixo, a não ser que você esteja completamente obcecado pela história, ou tenha muita vontade de acompanhar tudo pela GloboPlay, você acaba vendo apenas um capítulo aqui e outro acolá quando a novela começa depois de um programa que você já estava assistindo. Foi o meu caso nessa última semana. Acabei topando com “Liberdade, Liberdade” algumas vezes, e… não é que a novela é até boa?

Alguns núcleos são simplesmente divertidíssimos, como é o caso dos bandidos saqueadores liderados por Marco Ricca que está ótimo no papel de Mão de Luva. No mesmo núcleo, Gaspar, interpretado por Rômulo Estrela, também rouba a cena. Nathália Dill, que podia ser apenas mais uma noiva ressentida com o fato de seu noivo ter se apaixonado por outra, faz um papel cheio de nuances e por vezes muito engraçado. Agora que Branca está se descobrindo grávida e tem mil e um desejos esquisitos, as cenas da personagem são impagáveis.

branca-liberdade-liberdade

Outro que vai muito bem é Dalton Vigh no papel de Raposo, seguido pela amarga Dionísia (Maitê Proença). A mais recente aquisição do núcleo da casa, o pequeno Caju (Gabriel Palhares), também rende ótimas sequências. Todos esses personagens juntos dão um caldo muito bom, mas então porque é que a novela, apesar de não ir mal de audiência, tem quase zero de repercussão?

Bem, é difícil entender porque uma novela que não tem grandes defeitos não vira um fenômeno. Vejam o caso de “Velho Chico”. Apesar da trama ser bonita, com bons atores e bons personagens, parece que ainda falta alguma coisa para que a história engrene de vez. Parece ser o que acontece com “Liberdade, Liberdade”. Apesar de não ter nenhum defeito grave, falta alguma coisa para que a trama cative de vez os telespectadores.

E talvez, boa parte dessa culpa esteja no núcleo principal. É que embora as histórias em volta corram bem, é beeem difícil de engolir a história de Joaquina (Andrea Horta). Sem carisma nenhum, a mocinha não faz com que tenhamos vontade de torcer por ela. Aliás, a impressão é que temos às vezes é que a história correria imensamente melhor sem ela por ali. Os núcleos paralelos prendem mais a atenção do que o amor entre ela e Xavier (Bruno Ferrari) e sua luta por… explica aí pelo que Joaquina está lutando, Regina:

Enfim. Falta de repercussão de lado, temos que dizer que “Liberdade, Liberdade” está longe de ser uma novela ruim. Pode até não ter aquela coisinha a mais que faz com que a gente não queira perder um capítulo, mas foge do didatismo comum a novelas de época, diverte e tem bons atores criando ótimos personagens. Entretanto, emplacar que é bom, não emplacou. Às vezes parece ser necessário mais do que uma história bem feitinha para conquistar o público. E é isso que tem faltado à “Liberdade, Liberdade”. Essa coisinha a mais que não sabemos bem o que é, mas que faz com que uma novela caia no gosto geral do público. Talvez seja culpa do horário, talvez culpa da protagonista, talvez um bode anterior que sempre vem quando ouvimos falar de novelas de época. Talvez tudo isso junto. Uma pena, porque a novela, de fato, merecia mais.

Share this:

Curtir isso:

CurtidaCarregando…

Relacionado

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad