O mundo é nosso (2012) por Alfonso Sánchez

O mundo é nossoEspanha

(2012) *

Duração: 87 min.

Música: Sergio Moure

Fotografia: Maravilla Gypsy Band

Roteiro e Direção: Alfonso Sánchez

Artistas: Alfonso Sánchez (el Cabeza), Alberto López (el Culebra), José Rodríguez (Fermín), Alfonso Valenzuela (Ricardo), Joserra Leza (don Manuel), Maite Sandoval (Inspectora Jiménez), María Cabrera (Sabina), Daniel Morilla (Fran), Olga Martínez (Natalia), Francisco Torres (Paco), Antonio Dechent (Delegado do Governo), Antonia Gómez (Macarena), Estrella Corrientes (Marta).

Numa agência bancária na rua San Jacinto, no bairro Seviliano de Triana, várias pessoas estão a tentar resolver os seus assuntos.

Há um homem que está desempregado e que quer um pagamento adiantado de uma conta, embora ainda não tenha sido pago, estando com muita pressa, pois tem de ir carimbar o cartão de desemprego, apesar do qual está a usar um fato de trabalho.

Há também um jovem casal que consegue obter uma hipoteca para se casar.

Há também um funcionário público que vai ao banco durante a hora do almoço e há um empresário no escritório do diretor.

É o mês de abril, e em plena Semana Santa, a “Culebra” e a “Cabeza”, dois ladrões vestidos de nazarenos, entram na agência, ameaçando clientes e funcionários do banco com suas armas, na esperança de conseguir dinheiro suficiente para fugir para o Brasil.

Tudo vai bem até que, quando estão prestes a sair com o saque, outro homem entra no ramo, um homem mais velho que carrega o corpo coberto de explosivos e ameaça explodi-los se eles não avisarem a televisão.

À frente da polícia quem deve tomar conta da situação está o Inspector Jiménez, que pede aos funcionários do banco que colaborem com os assaltantes para evitar problemas.

Enquanto isso, a Cobra e a Cabeça estudam como sair da confusão, propondo a segunda para matar o suicida, o que os transformará em heróis, o que não é bem visto pela Cobra, que pensa que, mesmo que o façam, acabarão atrás das grades e, além disso, se vê como incapaz de matar qualquer um.

Por sua vez, o gerente da agência e o cliente que ele atendia também estão preocupados, e o primeiro, que até aquele momento tinha concordado com tudo o que o segundo lhe propunha, diz-lhe que quer deixar o negócio com que estavam lidando, lembrando-lhe que o segundo não pode fazê-lo, porque os colombianos não vão permitir que ele desista e, se o fizer, eles vão acabar com ele.

Enquanto isso, o inspetor Jiménez tenta negociar com os de dentro, mas ela tem que lidar com os problemas de fora, já que uma das irmandades da Semana Santa planejou passar por aquela rua, e embora ela peça que eles mudem a rota da mesma, os municipais lhe dizem que é perceptível que ela não é de Sevilha.

O inspetor entra na filial para negociar com os assaltantes, pedindo ao homem com os explosivos que permita a entrada de uma câmera de televisão e ao segundo um veículo para levá-los ao aeroporto para ir ao Brasil.

Como a situação parece tê-los esmagado, o próprio Comissário Narváez chega ao local e decide tomar conta da situação pessoalmente, levando o GEOS, que ele implanta para entrar em acção, atacando a sucursal e matando os raptores.

Mas entre os reféns está uma jornalista que lhes diz que vai colocar o bombista suicida na TV, caso contrário a polícia vai agir, embora eles não possam fazer isso, pois cortaram todas as linhas.

O rapaz que tinha vindo pedir a hipoteca com a namorada é oferecido para tentar obter uma ligação à Internet, uma vez que é engenheiro informático – apesar de trabalhar como corretor do Carrefour – que acaba por conseguir uma linha para transmitir a reportagem na televisão, aproveitando o facto de estar a dizer à namorada que não quer a hipoteca que eles iam pedir.

Uma vez que a fila está pronta, a jornalista contacta a sua rede, e a mensagem de suicídio aparece em todas as televisões.

Este, Fermín, afirma ser um empresário da construção civil de 58 anos que não pôde pagar aos seus trabalhadores por causa da falta de pagamento da administração, deixando várias famílias sem comida.

A sua mensagem chega a todos os cantos e todos o apoiam, por isso o comissário é obrigado a retirar o GEOS, incapaz de decidir o que fazer.

Todos estão a falar em frente às câmaras e a fazer valer o seu ponto de vista.

As pessoas vão acabar lotando as portas do banco gritando em apoio a Fermín, e embora ele decida que eles podem sair se quiserem, seus reféns decidem continuar com ele.

A caixa, está farta de aturar os seus chefes e de não ter relações com um homem por muito tempo, beijando a Serpente em frente às câmaras.

Entretanto, o cientista da computação argumenta com sua namorada que ele não concorda com o lugar que eles escolheram para viver, e que ele nem sequer sabe se quer se casar.

E aproveitando a discussão, o diretor e seu parceiro roubam o detonador de Fermín e partem para fugir com uma pasta, e com o controle remoto nas mãos o diretor diz a todos os presentes o que pensa deles, de se encontrar depois de ter insultado todos com os quais Fermin confessa que seus explosivos são feitos de plasticina, então mais uma vez é a Cobra e a Cabeça que assumem a liderança, mantendo o caso, que eles não podem abrir, tendo que ser ajudados por outro dos reféns, um chinês.

Tendo em conta a propaganda mediática, o Delegado do Governo deve pronunciar-se a favor da sugestão feita pelo Inspector Jiménez de aproveitar a situação mediática para a colocar a seu favor.

Ele pega um megafone e diz a Fermín que eles vão resolver seu problema, conquistando assim o público que assiste à cena.

O que eles não sabem é que o Delegado do Governo é cúmplice do gerente da filial e do empresário nos seus negócios, então ele lhes pede que libertem os reféns, ameaçando arrasar a filial se não o fizerem.

E finalmente os reféns saem quando se aproxima uma procissão.

O inspetor Jiménez acreditava que eles a ouviam quando ela lhes pedia para desviar o cortejo, mas ela era de Burgos e não conhecia a idiossincrasia de Sevilha, os irmãos se recusavam a desviar o curso, pois tinham que chegar a uma capela, e depois de cinco anos sem poder fazer o cortejo por causa da chuva, eles não estão dispostos a fazer isso.

A procissão continua contra a polícia, graças à qual a Cabeça e a Serpente escapam.

Algum tempo depois, Fermín foi absolvido por um júri popular e conseguiu escapar graças a uma doação anónima de 500.000 euros.

Enquanto isso, os ladrões poderão viajar para o Brasil, embora o façam em um jet ski que logo ficará sem gasolina, como aconteceu com a moto de terra.

Classificação: 2

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad