O que é o Cinema?

O que é o Cinema?

Cinema, ou cinema, é a arte das imagens em movimento; um meio visual que conta histórias e expõe a realidade.

Criado no crepúsculo do século XIX, o cinema é a forma de arte mais recente do mundo. É também, de longe, a expressão artística mais complexa, colaborativa e dispendiosa do mundo.

No seu início, as duas primeiras versões da câmara de filmar (a cinematografia e a sua homóloga europeia, a cinematografia) foram usadas para gravar eventos diários, como um comboio que chega a uma estação e um elefante a ser electrocutado. Nascia então a realização de filmes documentários, que eram explorados de forma tremenda. Homens médios foram instruídos sobre como usar a câmera recém-criada e contratados para realizar viagens ao redor do globo e capturar imagens exóticas como as pirâmides no Egito e as cachoeiras no Niágara.

Film Scholar’s Insight

Dizer que os primeiros filmes foram documentários é uma falácia. E um dos grandes. Os primeiros filmes de um rolo não tinham mais de um minuto de duração, e eram chamados actualities. Eram gravações de eventos quase inúteis do dia-a-dia.

Filmes documentários – algo muito mais elaborado do que actualities – foi desenvolvido mais tarde. Os documentários são filmes complexos com uma estrutura e uma finalidade diferentes. Leia mais em Documentary Cinema.

Talvez o único argumento válido para chamar aqueles primeiros actualities “documentários” seja por causa de um estilo específico de documentário – cinéma vérité (em francês para “cinema verdadeiro”). Cinéma vérité é caracterizado por uma abordagem naturalista das filmagens. Aqueles primeiros actualities eram de facto naturalistas porque os operadores de câmara filmaram cenas naturais sem qualquer intenção de não as distorcer ou enobrecer.

Artistas, contudo, rapidamente se aperceberam do potencial da câmara para gravar acções e contar histórias com scripts, pelo que a câmara começou a filmar eventos semelhantes a brincadeiras. Nasceu a produção de filmes narrativos. A escrita de roteiros, cenografia e edição tornaram-se a norma.

Empresários prontamente encontraram uma maneira de rentabilizar a arte recém-inventada. Os teatros foram construídos, e os bilhetes de entrada tornaram-se obrigatórios para desfrutar daquele espectáculo de luzes e sombras. Com a alta demanda e o aumento dos lucros, o mercado se tornou favorável aos cineastas. Logo, os estúdios foram criados. O elenco e a equipe assinaram contratos. Os produtores tornaram-se deuses. E na década de 1930, a indústria cinematográfica americana atingiu o auge, produzindo dezenas de filmes por mês.

O cinema evoluiu. Os filmes se tornaram mais longos. O som foi adicionado. Hollywood foi construída. O cinema a cores tornou-se económico. Hitchcock viveu, prosperou, e morreu. Efeitos especiais foram criados. O digital foi inventado. Um século se passou, e a indústria cinematográfica ainda floresce.

Hoje em dia, o cinema pode ser definido como a arte das imagens coloridas em movimento realçadas por vozes, sons e música, ainda contando histórias, ainda divertindo, e o mais importante, ainda vendendo pipoca.

Lessons on Screenwriting:

Lessons on Directing:

Lessons on Cinamatography:

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad