Pantera Negra quebra as cadeias da opressão

Atenção SPOILERS from Avengers # 34 by Jason Aaron, Javier Garron, Jason Keith and Cory Petit. Nesta história, podemos ver como o Pantera Negra é um membro da equipe principal da Marvel, os Vingadores, e atualmente serve como líder da equipe. T’Challa é também o rei da nação africana de Wakanda e tem a distinção de ser o primeiro grande super-herói de ascendência africana. E em Vingadores #34, ele literalmente se liberta das correntes que são usadas para amarrá-lo. Dando ao clássico feito de super-herói um subtexto político em favor do movimento #BlackLivesMatters.

Na anterior publicação Avengers, o Pantera Negra entregou-se ao Moon Knight, num esforço para proteger a sua nação. E em Vingadores #34, o rei de Wakanda foi acorrentado e torturado por seguidores do deus Khonshu que usam vestes brancas. Num esforço para aprender os segredos dos seus poderes, membros fanáticos do culto começam a chicoteá-lo numa tentativa de o fazer contar os seus segredos, aparentemente para ajudar Moon Knight e Khonshu a parar a ameaça do demónio Mephisto.

A tortura do Pantera Negra não é mostrada explicitamente, embora esteja fortemente implícita com os cultos que seguram borlas de flagelação incrustadas com pedaços de rocha da lua afiada. Além disso, o traje do Pantera Negra é horrivelmente manchado. A imagem de um rei africano acorrentado e espancado está carregada de significado, ressonando com as profundezas da história americana.

Depois disso, o Moon Knight intervém e detém os seguidores de Khonshu.

Ele faz isso, no entanto, não para libertar seu cativo, mas para espancá-lo após uma longa conversa onde ele ordena ao Pantera Negra que revele os segredos de seus poderes. Com T’Challa ainda de pé, Moon Knight deixa a câmara e os cultistas voltam para terminar o seu trabalho.

Quando o Cavaleiro da Lua se vai, os sacerdotes de Khonshu aproximam-se mais uma vez do Rei Africano, empunhando os seus chicotes improvisados. Talvez nas imagens mais poderosas da banda desenhada Marvel, o Pantera Negra se liberte das correntes que o prendem e vira a mesa para os seus captores. Enquanto as cenas acima parecem ser um reflexo dos horrores da América, esta cena é uma cena de poder.

Esta seria uma afirmação forte em qualquer contexto, mas tem um significado ainda maior numa altura em que o movimento #BlackLivesMatter forçou os EUA a confrontar as suas desigualdades raciais actuais e históricas. E quem melhor do que o Pantera Negra para o representar.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad