Satoshi Kon, diretor de ‘Paprika’ e ‘Tokyo Godfathers’, entre outros, morreu

Esta manhã um leitor nos informou (obrigado, Sérgio) da triste notícia da morte do diretor anime japonês Satoshi Kon, aos quarenta e sete anos, de causas ainda não anunciadas oficialmente, mas que poderiam apontar para o câncer.

O autor dos títulos ‘Azul Perfeito’ (1997), ‘Atriz do Milênio‘ (2001), ‘Padrinhos de Tóquio‘ (2003) e ‘Paprika’ (2006) destacou-se principalmente pela estética de sua animação, um pouco sobrecarregada e muito colorida, mas tremendamente bela, que só podia ser superada, se é que podia ser superada, pela fluidez de movimento de seus personagens, que pareciam estar carregados de líquido. As atmosferas dos seus filmes eram igualmente hipnóticas.

Satoshi Kon começou como um mangaka – uma gaveta de quadrinhos japonesa -, uma carreira em que se destacou com obras como ‘Back to the Sea’, mas quando saltou à fama com seu primeiro filme como diretor, ‘Perfect Blue’, optou pela imagem em movimento.

Sennen joyu’ (2001), conhecido internacionalmente como ‘Atriz do Milênio’, é o segundo filme de Kon como diretor. Conta a história de Chiyoko Fujiwara, uma das atrizes da época de ouro do cinema japonês. Ganhou os prémios de melhor filme de animação e filme mais inovador no Fantasia Film Festival 2001 em Montreal, bem como o Orient Express Award no Sitges 2001 e o Ofuji Noburo Award no Mainichi Film Concours 2003.

Também foi premiado ‘Tokyo Godfhaters’, um filme sobre a busca das mães de três prostitutas sociais depois de encontrarem um bebê abandonado no lixo. As suas imagens são incrivelmente bonitas.

Seu último filme foi ‘Paprika‘, baseado no romance de Yasutaka Tsutsui, que você pode ler mais sobre ele aqui.

Ele tinha trabalhado recentemente no ‘Yumemiru kikai’ (2010), que tem o título internacional ‘The Dreaming Machine’. Este filme, estrelado inteiramente por robôs, é dirigido ao público infantil e tem um estilo um pouco diferente daquele que Kon costumava retratar, mas, como pode ser visto na imagem acima, parece uma delícia. Infelizmente, o filme está incompleto. Esperemos que, com o desenvolvimento e os desenhos que Kon tinha feito, o seu estúdio seja capaz de o trazer à tona.

Como diretor, ele também assina a série de 13 episódios ‘Paranoia Agent‘, na qual Satoshi Kon é considerado o David Lynch da animação japonesa, acrescentando um drama psicológico e um enredo absorvente a uma animação chocante.

A estes trabalhos podemos acrescentar as suas numerosas colaborações com Katsuhiro Otomo, autor de ‘Akira’, para o qual foi influenciado desde que lançou ‘Domu’, a sua primeira obra, e com a qual começou a trabalhar quando o aclamado autor conheceu as primeiras obras de Kon, a mangá ‘Kaikisen’ publicada na ‘Young Magazine’. Depois de Satoshi estar a cargo dos conjuntos de ‘Roujin Z’, as colaborações entre estes dois grandes autores tornar-se-iam habituais. Depois de trabalhar como decorador e co-roteirista, Kon tem sua primeira experiência como diretor no quinto episódio da série ‘JoJo’s Bizarre Adventure’, na qual ele também fará o storyboard e o roteiro.

Via | Fandom Zone.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad