The Kid (1921), de Charles Chaplin

The

Kid (1921) * EUA

Também conhecido como:
– “El pibe” (Argentina / Uruguai)
– “El chiquillo” (México)

Duração: 68 minutos.

Música: Charles Chaplin (Composto em 1971)

Fotografia: Roland Totheroh

Escrito e dirigido por Charles Chaplin

Artistas: Charles Chaplin (The Tramp), Edna Purviance (The Girl), Jackie Coogan (The Boy), Henry Bergman (Professor Guido), Lita Grey (Angel of Temptation), Carl Miller (Man), Tom Wilson (Police)

Após deixar o hospital de caridade onde deu à luz uma criança, uma mãe solteira, desesperada por falta de meios, decide abandoná-lo num carro estacionado em frente a uma grande mansão, na esperança de lhe dar uma vida melhor.

Ela não consegue, pois o carro é roubado por dois ladrões que abandonam a criança nas favelas.

Lá ele é encontrado por um vagabundo que, sem saber o que fazer com ele, tenta abandoná-lo sem sucesso, já que constantemente esbarra num policial que o detém, então, depois de encontrar o bilhete deixado pela mãe pedindo cuidados, decide ficar com ele, tendo que levá-lo para casa, onde prepara um berço improvisado e uma garrafa para ele.

A mãe do rapaz, arrependida, tenta recuperá-lo indo para a mansão onde o abandonou, não conseguindo mais encontrá-lo.

Cinco anos depois, o sem-teto tornou-se vidreiro e tem a ajuda do rapaz, que parte o vidro com pedras que mais tarde irá reparar.

Entretanto, a mãe do menino conseguiu se tornar uma atriz de sucesso que ocasionalmente passeia pelas favelas e dá dinheiro e doces para as crianças, uma vez dando ao filho um cão de brinquedo e uma bola, sem saber quem é.

Quando um rapaz mais velho lhe tira a bola, o rapaz luta com ele, conseguindo vencê-lo apesar do seu tamanho, fazendo com que o seu irmão, um homem forte, desafie o vagabundo que, apesar da sua inferioridade, consegue vencê-lo.

Mas a mãe do menino, que passava e tentava mediar para evitar que lutassem, pega o menino, percebendo que ele está doente.

O vagabundo então chama um médico, que percebe que o menino não está vivendo em boas condições e avisa um orfanato para levá-lo embora.

Eles vão em um caminhão para pegá-lo, conseguindo levá-lo apesar da resistência do vagabundo, que depois de fugir pelos telhados consegue chegar até o caminhão e resgatar o menino, com quem passará a noite em um abrigo para evitar ser levado novamente.

Enquanto isso, a mulher vai até a casa do sem-teto para verificar a criança, conhecendo o médico, que lhe diz que a criança não era o filho do sem-teto e lhe mostra o bilhete que ela mesma escreveu cinco anos antes, percebendo assim que o menino é seu filho.

Enquanto dormem no abrigo, o vigilante descobre um anúncio no jornal oferecendo uma recompensa de mil dólares por uma criança que corresponde às características do menino que dorme com o vagabundo, então ele decide seqüestrá-lo e levá-lo para a delegacia, onde sua mãe o pega na manhã seguinte.

Quando o sem-teto acorda, ele está desesperado para não encontrar o menino, que ele procura por toda parte sem sucesso, então ele volta para casa, adormecendo à porta e sonhando que sua vizinhança é um Paraíso habitado por anjos, onde os demônios também entram sorrateiramente para fazer tudo voltar a ser como era.

Ele é acordado por um policial que o leva consigo, sem qualquer resistência, para descobrir que não é levado à delegacia, mas a uma elegante mansão, de propriedade da mãe da criança, onde é recebido pela criança de braços abertos.

Classificação: 5

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Esta web utiliza cookies propias y de terceros para su correcto funcionamiento y para fines analíticos y para mostrarte publicidad relacionada con sus preferencias en base a un perfil elaborado a partir de tus hábitos de navegación. Al hacer clic en el botón Aceptar, acepta el uso de estas tecnologías y el procesamiento de sus datos para estos propósitos.
Más información
Privacidad